ENQUETES

Com mais esse escândalo, você acha que Temer deve renunciar?

PUBLICIDADE

Política / “TETO DE GASTOS”
16.02.2017 | 16h01
Tamanho do texto A- A+

Taques diz que projeto congelará salários somente do Executivo

PEC poderá ser apresentada caso haja acordo com chefes dos demais Poderes do Estado

Marcus Mesquita/MidiaNews

Clique para ampliar

O governador Pedro Taques disse que projeto do Executivo não trata de congelamento de salários de outros Poderes

CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

O governador Pedro Taques (PSDB) afirmou que o projeto que está sendo elaborado pelo Palácio Paiaguás, e que prevê um limite de gastos públicos em Mato Grosso, prevê o congelamento dos salários somente de servidores do Executivo.

 

Segundo Taques, ele não tem autonomia para propor um projeto de lei que interfira na questão salarial dos demais Poderes do Estado.

 

Taques afirmou que, qualquer coisa neste sentido, precisa passar por um acordo com os chefes dos demais Poderes e instituições.

 

Como chefe do Poder Executivo, não posso, através de projeto de lei, tratar de congelamento de salários para outros Poderes

Neste caso, de acordo com o tucano, o Executivo poderia apresentar uma Proposta de Emenda Constitucional (PCE), assim como já foi realizado por outros Estados da Federação.

 

“Como chefe do Poder Executivo, não posso, através de projeto de lei, tratar de congelamento de salários para outros Poderes”, disse o governador, após evento realizado na manhã desta quinta-feira (16), no Palácio Paiaguás.

 

“Temos conversado com alguns Poderes, porque outros Estados fizeram esse congelamento através de PEC. Isso temos que conversar com os Poderes. O projeto de lei que apresentaremos é só em relação ao Executivo”, afirmou.

 

Tramitação

 

O governador, contudo, preferiu não dar detalhes sobre o projeto, que vem sendo elaborado desde o ano passado.

 

Nos bastidores, a informação é de que o texto prevê um limite para as despesas públicas pelos próximos dez anos, além do congelamento dos salários de servidores, proibindo, por exemplo, a concessão da Revisão Geral Anual (RGA) por pelo menos dois anos.

 

Segundo o governador Pedro Taques, o Executivo ainda irá acertar “alguns detalhes” do projeto antes de encaminhar a mensagem para apreciação da Assembleia Legislativa.

 

Taques, que já chegou a anunciar que o texto seria enviado ao Legislativo ainda no ano passado, agora prefere não estipular nova data.

 

Leia mais sobre o assunto:

 

Congelamento de salário deve valer para todos, diz líder de Taques

 

Não conceder RGA a servidores do MPE seria injusto, diz Prado

 

 

 

 

 




Clique aqui e faça seu comentário


39 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

edson  17.02.17 17h42
pois se os outros poderes tem dinheiro sobrando e só repassar menos sua parte, nao deixar um grupo que arrecada todo dinheiro pra outros poderes que so faz gastarem..
26
2
Nilza  17.02.17 17h21
SENHOR GOVERNADOR, MATO GROSSO É UM ESTADO PUJANTE TEM DE REALIZAR AS MUDANÇAS NECESSÁRIAS PARA RESOLVER O FLUXO DE CAIXA, MAIS NÃO VENHA PREJUDICAR OS SERVIDORES DO EXECUTIVO COM CONGELAMENTOS DE SALÁRIOS E AUMENTO DA PREVIDÊNCIA EM 14% POR CAUSA DO ROMBO DOS POLÍTICOS CORRUPTOS E AINDA MAIS AS LEIS DE CARREIRAS E A RGA NÃO TEM NADA A VER COM ATUAL CRISE NAS CONTAS DO ESTADO.
37
2
Fernanda  17.02.17 17h14
Greve geral greve geral greve geral!!!
39
3
Jota Oliveira  17.02.17 16h15
Pra quem não sabe o Estado funciona como um sistema de pirâmide, os que saem prejudicados sempre são os que estão na base!!! Analista de Desenvolvimento, professor, Técnico de Desenvolvimento e mais alguns outros ganham merreca e ainda vai congelar???
53
2
alexandre  17.02.17 15h54
A conta é simples, se o executivo parar não tem dinheiro pro Judiciário, nem pro legislativo, são orgãos gastadores, quanto a cortar restaurantes, passeios e despesas isso já nossa realidade a muito tempo, inclusive reduzir o mercado. Vou pra greve não dá pra aceitar calado tamanha injustiça. a elite do Estado term RGA e quem rala pra atender e arrecadar fica com prejuízo...
54
3

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados