ENQUETES

Nessas eleições, você pretende:

PUBLICIDADE

Política / NOVOS BLOCOS NA AL
11.02.2018 | 15h03
Tamanho do texto A- A+

Taques diz não estar distante da base; Botelho nega “afronta”

"Isso faz parte da articulação dos parlamentares. É normal. Não é afronta ao Governo", disse Botelho

Alair Ribeiro/MidiaNews

Clique para ampliar

O governador Pedro Taques e o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho

DOUGLAS TRIELLI
DA REDAÇÃO

O governador Pedro Taques (PSDB) negou haver racha em sua base na Assembleia Legislativa, mesmo com metade dos parlamentares tendo decidido deixar a base governista e criar um “bloco independente”.

 

Em conversa com a imprensa, na manhã de sexta-feira (09), em um evento do Executivo, o tucano disse estar em contato diário com os parlamentares.

 

“Na quinta-feira, por exemplo, conversei com 18 deputados. Eu não vejo esse distanciamento. Só hoje, já conversei com seis. Eles me ligaram, falaram de suas bases, onde estão andando, reclamações, pedindo, agradecendo. Não há distanciamento”, afirmou o tucano.

 

Conforme revelou MidiaNews na quinta-feira (08), nove parlamentares já se comprometeram a integrar a criação do bloco independente na Assembleia. A proposta deve ser enviada assim que as sessões forem retomadas, após o Carnaval.

 

Até o momento, devem compor o bloco independente os deputados Mauro Savi (PSB), Oscar Bezerra (PSB), Wancley Carvalho (PV), Romoaldo Junior (MDB), Silvano Amaral (MDB), Wagner Ramos (PSD), José Domingos Fraga (PSD) e os deputados do PSDB de Taques, Baiano Filho e Guilherme Maluf. Com exceção de Silvano, todos eram da base do Governo.

 

Na quinta-feira, por exemplo, conversei com 18 deputados. Eu não vejo esse distanciamento

Para o presidente do legislativo, deputado Eduardo Botelho (PSB), a criação do novo bloco é algo “normal” e pode ser feito a cada início de ano. Ele não acredita ser uma “afronta” dos colegas ao Executivo.

 

“Eu vejo como normal. Isso faz parte da articulação dos parlamentares. Faz parte essas formações de blocos. No primeiro ano, foram vários blocos. No segundo e terceiro foram apenas dois. E agora voltou a se abrir mais de um. Eu acho normal. Não é afronta ao Governo”, afirmou.

 

"Vejo insatisfações, sim. Mas isso é natural. Os deputados estão sendo cobrados em suas bases. Então, é claro e nítido que há descontentamento. Ele precisa recompor isso. Precisa pagar as emendas, por exemplo. Mas isso não quer dizer que está rachado, que vai haver só oposição. Eu não vejo assim", completou.

 

Blocos

 

A criação de blocos está prevista no Regimento Interno da Assembleia e é necessária para definir os membros das comissões permanentes da Casa, em que são analisados os projetos do Governo e dos próprios deputados. Entre as comissões permanentes, as mais importantes são a Orçamentária (CFAEO) e a de Constituição, Justiça e Redação (CCJ).

 

Além disso, a definição dos blocos também serve para as indicações para membros de CPIs.

 

Caso o bloco independente seja criado, e tenha nove membros, o grupo conseguira indicar até dois deputados para as comissões do Legislativo.

 

Atualmente, existem no Legislativo o Bloco Integração, liderado por Dilmar Dal’Bosco (DEM), com 20 deputados que formam a base governista, e o Bloco Independente, da deputada Janaina Riva (PMDB), com quatro oposicionistas. Com a medida, o Legislativo passaria a ter três blocos, o que irá rachar a base do governador Pedro Taques.

 

Leia mais sobre o assunto:

 

Deputados criam novo bloco e racham base de Taques; veja lista

 

Taques nega retaliação em corte de emendas e crise com aliados




Clique aqui e faça seu comentário


3 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Jackson   12.02.18 18h47
Kkkkk Pelo visto a teremos um.novo governador!!! Finalmente!! Aceita que dói menos!!!
0
0
Rocha   12.02.18 00h08
Na minha opinião, existe um político muito forte atrás dessa manobra. Ele tem interesse no pleito governamental. Esta fazendo um jogo de poliqueiros. Se tudo funcionar como pretende sua estratégia, aí sim lançará sua candidatura. Tomara que não aconteça, será um retrocesso para o estado. Aliás, é um político de interesse pessoal e de grupos. Vamos eliminar esses caciques. J... B...J...e tantos outros que enriqueceram através do dinheiro público.
3
1
Joao  11.02.18 15h46
Joao, seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas
1999-2018 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados