ENQUETES

Você vai assistir ao horário eleitoral gratuito na TV?

PUBLICIDADE

Política / INFRAESTRUTURA
14.05.2018 | 08h07
Tamanho do texto A- A+

Secretário diz que rodovia envergonha e pede nova licitação da 163

Duarte diz que PR, de Fagundes, comanda Ministério e resultado é de dificuldades em concessões

Alair Ribeiro/MidiaNews

Clique para ampliar

O secretário de Estado de Infraestrutura, Marcelo Duarte

DOUGLAS TRIELLI
DA REDAÇÃO

O secretário de Estado de Infraestrutura, Marcelo Duarte, defendeu a rescisão do contrato de concessão da BR-163 com a Rota do Oeste, braço da Odebrecht, empresa implicada nas investigações da Operação Lava Jato.

 

Segundo o secretário, o projeto de duplicação da rodovia não teve andamento. Menos da metade da extensão prevista no contrato foi duplicada e, mesmo assim, foram instaladas 9 praças de pedágio, em intervalos médios de 100 quilômetros.

 

Duarte afirmou que a rodovia tem um dos maiores índices de acidentes do Estado. Ele classificou o local como “corredor da morte” e disse que a situação é vergonhosa.

 

Defendo que seja relicitada essa obra. O DNIT precisa assumir isso. Alguns dizem que se romper fica pior, mas estamos protegendo quem?

“É o corredor da morte. É só ver os índices. Infelizmente, é uma rodovia que nos dá vergonha. Independentemente de importância política, econômica, regional, o número de acidentes com vítimas fatais é algo que não dá. O Brasil é um dos países que mais mata no trânsito, e essas rodovias contribuem para esses índices. Não tem nada parecido com isso aqui”, disse, em entrevista ao MidiaNews.

 

Para o secretário, o processo de concessão começou de maneira equivocada na gestão do Partido dos Trabalhadores (PT).

 

“O Governo Federal, em um ato populista e pouco técnico, fez um edital baseado em melhor tarifa, não por outorga. E baseou-se em juros subsidiados. Esses juros não vieram, porque o País entrou em crise e as tarifas baixas tornaram inviável a concessão. Além disso, teve a Lava Jato”, afirmou.

 

“Talvez, a empresa mergulhou tanto no preço da tarifa, porque acredita que, por vias tortas, iria conseguir artificialmente aumentá-las, o que não aconteceu. Foram erros de gestão e problemas criminais que nos colocaram nessa situação”, disse.

 

Duarte criticou a forma como o Governo Federal tem lidado com as concessões rodoviárias.

 

Uma Medida Provisória que estabelecia diretrizes para reprogramação de investimentos, aumentando o prazo concedido, chegou a ser baixada, mas perdeu a validade.

Alair Ribeiro/MidiaNews

Marcelo Duarte

"Infelizmente, o PR comanda o Ministério dos Transportes, comanda a ANTT, e o resultado que vemos é essa dificuldade de tomar medidas efetivas"

 

“Eu defendo que seja relicitada essa obra. O DNIT precisa assumir isso. Alguns dizem que se romper fica pior, mas estamos protegendo quem? Está faltando atitude da ANTT, do Governo Federal, para ir para cima”, afirmou.

 

“Uma medida provisória poderia alongar prazos, mas isso não interessa para Mato Grosso. Não interessa esperar mais 10 a 15 anos para duplicar Cuiabá a Sinop. E pagando pedágio. E todo dia você vê mortes nessa rodovia. Todo dia. Esperar mais 10 anos, irão tirar mais quantas vidas?”, questionou.

 

Ministério do PR

 

Segundo Marcelo Duarte, um conjunto de secretários de Infraestrutura do País chegou a pedir a troca da presidência da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Um nome foi indicado, mas, de acordo com ele, foi vetado pelo presidente Michel Temer (MDB).

 

Duarte diz que tanto a ANTT quando o Ministério dos Transportes pertencem à quota de indicação do Partido da República (PR), que tem o senador Wellington Fagundes como líder em Mato Grosso.

 

“É uma questão partidária, o PR acabou indicando uma pessoa. Infelizmente, esse fatiamento partidário dos grandes ministérios e autarquias acaba prejudicando. Infelizmente, o PR comanda o Ministério dos Transportes, comanda a ANTT, e o resultado que vemos é essa dificuldade de tomar medidas efetivas e duradouras”, completou.




Clique aqui e faça seu comentário


13 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Jeronimo  15.05.18 14h38
Jeronimo, seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas
Vantuir   14.05.18 22h26
Vantuir , seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas
João  14.05.18 22h03
Gildo acho que vc nunca saiu de Cuiabá ne. Pois a rodovia 163 em MS não teve um cm de duplicação, a excessao das praças de pedágio onde foi duplicada, pois teve sim é a criação de alguns trechos de terceira faixa fora que o asfalto dela está todo cheio de depressões e remendos única coisa eficiente que fizeram foi um bom pedágio onde o valor mais barato é de R $ 8.70 fora a deficiencia no serviço de atendimento ao usuário onde encontrei uma família com criança de colo as margens da 163 aguardando a mais de hora a equipe da concessionária realizar o atendimento solicitado. Deveria se informar melhor pois passei pela 163 em MS até divisa com PR em abril agora e outra informação a 163 do Rio Correntes divisa MS/MT a concessão e da Rota do Oeste até Sinop!!!
1
0
Alexandro  14.05.18 17h59
Mas e as rodovias estaduais? MT 358 está abandonada, umas das principais rodovias estaduais que liga Jangada a Tangará da Serra está só o buraco e o mato invadindo a pista. Nem falo da MT100 em Alto Taquari
1
1
cardozo  14.05.18 16h40
VERGONHA É A MT 10 CUIABÁ/ GUIA ESSA SIM É A VERDADEIRA EDTRADA DS MORTE NEM TAPA BURACOS ESTÃO FAZENDO MAIS.
21
5
1999-2018 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados

Ver em: Celular - Web