ENQUETES

A que você atribui a renovação da Assembleia e da Câmara neste ano em MT?

PUBLICIDADE

Política / AMAM DEFENDE
10.08.2018 | 09h18
Tamanho do texto A- A+

Reajuste no STF tem efeito em MT: “Salário está 5 anos defasado”

Supremo Tribunal Federal incluiu, no orçamento de 2019, um reajuste de 16,38% nos vencimentos

Alair Ribeiro/MidiaNews

Clique para ampliar

O presidente da Associação Mato-grossense dos Magistrados (Amam), juiz José Arimatéa

DOUGLAS TRIELLI
DA REDAÇÃO

O presidente da Associação Mato-Grossense dos Magistrados (Amam), juiz José Arimatéa, afirmou que uma eventual aprovação, no Congresso Nacional, do reajuste de 16,38% nos salários dos ministros do STF vai gerar aumento automático para juízes e desembargadores do Estado.

 

Nesta semana o Supremo Tribunal Federal (STF) incluiu no orçamento de 2019 a previsão do reajuste salarial. A medida, porém, ainda depende de aprovação. 

 

Segundo Arimatéa, uma lei no Estado atrela o reajuste salarial de ministros aos magistrados locais. Ele disse que o salário em Mato Grosso está congelado desde 2014, o que gerou uma defasagem de 43% no poder aquisitivo da categoria.

 

“Pela lei, deveríamos ter 43% de reajuste, porque essa é nossa defasagem em quase 5 anos. Perdemos quase 50% do nosso poder aquisitivo. Fora a inflação deste ano. Estamos há cinco anos sem reajuste. Nosso último reajuste foi em janeiro de 2014”, disse ao MidiaNews.

 

“Nós estamos perdendo magistrados. Eles estão pedindo exoneração para ser defensor público, que ganha mais que a gente. Promotor ganhar mais que a gente, defensor também. Então, vai para cinco anos sem nenhum tipo de reajuste”, completou.

 

Pela lei, deveríamos ter 43% de reajuste, porque essa é nossa defasagem em quase 5 anos

Atualmente em R$ 33,7 mil, o salário dos ministros poderá ultrapassar R$ 39 mil a partir do ano que vem com a nova medida do STF.

 

Conforme dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o teto salarial do Judiciário mato-grossense é de R$ 30 mil, ou 90,25% do salário de um ministro. Esse valor diminui 5% conforme a categoria abaixo, até chegar aos juízes substitutos.

 

Somente de magistrados e juízes em atividade, o Tribunal de Justiça gastará, em 2018, R$ 51,4 milhões, conforme a folha de pagamento apresentada pelo Poder ao CNJ. Esse valor, caso o reajuste seja aprovado, deve subir mais de R$ 8,4 milhões, aproximadamente em 2019.

 

“Se a gente começar a decidir sobre o que é moral, imoral, justo e injusto... A gente tem que se pautar na lei. Fora da lei não há salvação. O conceito de justo e injusto varia de cabeça para cabeça. Cada um tem sua opinião e o seu conceito. Então, temos que nos apegar à lei. E pela lei deveríamos ter 43% de reajuste”, disse Arimatéa.

 

Teto de Gastos

 

O presidente da Amam afirma que a Emenda Constitucional do Teto de Gastos, aprovada em novembro de 2017 pelo governador Pedro Taques (PSDB), não deverá impedir o reajuste dos salários. A emenda congela os gastos públicos pelos próximos cinco anos.

 

Segundo ele, os 16,38% estão previstos no orçamento do Tribunal desde 2016.

 

“Não impede, porque já está incluído no orçamento. O Teto de Gastos é de 2017. Quando a lei do Teto foi baseada, nossa previsão já estava incluída desde o orçamento de 2016. Já está dentro do teto. Se tivesse um reajuste acima desse valor, teríamos que fazer conta, saber se comportaria, mas não é o caso”, afirmou.




Clique aqui e faça seu comentário


21 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

aloísio  11.08.18 11h35
Os magistrados merecem esse aumento e muito mais! Além do trabalho exaustivo, são obrigados a comer marmitex de “pedreiro” (nada contra os pedreiros) e a sobra ainda fica para o lanche das duas, quando dá tempo. Vida difícil! Não têm plano de saúde, ajuda de custo, enfrentam as longuíssimas filas do SUS. Vida difícil. E as crianças? Com bicho no pé, lombrigas ... felicidade mesmo só com a merenda na escola pública, onde estudam. Vida difícil! E mais, no final da tarde, quando retornam para seus bairros, Jardim X, condomínio Y, correm enormes riscos no tráfego com suas motinhas dos anos 80. Vida difícil! Já perceberam como nossos magistrados são magros? Mal vestidos? Falam mal? Pele encardida, tipo sapo do Tijucal? Na verdade, vida mais difícil só a do Neymar. Oh vida ...
4
2
LEIVI NEVES DOS SANTOS  10.08.18 18h11
Lamentável ouvir o magistrado falar em defasagem salarial, com um salario de quase 30 mil reais, fora os inúmeros auxílios, enquanto o trabalhador fica sujeito a um salario de fome míseros 954 reais, olha não é por nada que estamos na situação que estamos. Vergonha total.
6
2
alexandre  10.08.18 13h59
pelo fim dos privilegios, corte de 30% no orçamento do judiciario..
38
9
Eleitor indignado  10.08.18 13h29
Sugestão ao governador: equipare o salário do governador ao dos desembargadores, altere a lei que estabeleceu o salário do desembargador como teto, passando a ser o salário do governador. Assim, ainda que os salários dos ministros do STF aumento, os servidores de Mato Grosso terão como teto o salário do governador. Talvez uma maneira de impedir uma explosão dos salários em MT. Lembrando ainda que menos de 5% dos servidores ganham o teto. A grande maioria ganha menos de 5 mil reais por mês.
18
5
Alfredo  10.08.18 13h06
Se os salários dos magistrados estão de fadados calcule dos trabalhadores brasileiros
39
4
1999-2018 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados

Ver em: Celular - Web