ENQUETES

Como você avalia o atendimento do Detran-MT?

PUBLICIDADE

Política / "MONSTRUOSA"
14.09.2017 | 06h51
Tamanho do texto A- A+

PF cumpre 64 mandados contra Maggi, Assembleia, TCE e Emanuel

Ação de policiais federais é resultado do depoimento do ex-governador do Estado

Alair Ribeiro/MidiaNews

Clique para ampliar

A operação foi desencadeada nas primeiras horas desta quinta

JAD LARANJEIRA E THAIZA ASSUNÇÃO
DA REDAÇÃO

A Polícia Federal desencadeou uma operação nas primeiras horas desta quinta-feira (14) para cumprir mandados contra alvos citados na delação premiada do ex-governador Silval Barbosa (PMDB).

 

No total estão sendo cumpridos mandados em 64 endereços, em dois Estados e no Distrito Federal. Trata-se da operação Malebolge, a 12ª fase da Ararath.

 

Também são cumpridos mandados em Tangará da Serra, Juara, Araputanga, Pontes e Lacerda, Sorriso e Sinop.

 

Segundo a PF, há 270 policiais federais e procuradores da República envolvidos na operação.

 

Maggi

 

Um dos alvos é o atual ministro da Agricultura e também ex-governador Blairo Maggi (PP). Policiais federais cumpriram mandado de busca e apreensão em seu apartamento em Brasília.

 

Além disso, foram alvos a sede da Amaggi, em Cuiabá, e sua residência em Rondonópolis.

 

A decisão é do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF). Maggi é acusado de obstrução da Justiça.

 

Outro alvo da operação é o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (PMDB). Policiais também cumprem mandado de busca e apreensão em sua casa, no Jardim das Américas.  

 

A Assembleia Legislativa está, neste momento, ocupada por viaturas da PF, que também cumpre mandados no local.

 

Os alvos são os deputados Silvano Amaral, Oscar Bezerra e Baiano Filho.

 

A reportagem apurou que conselheiros do Tribunal de Contas do Estado também são alvos da ação.

  

A delação

 

A colaboração premiada de Silval Barbosa foi homologada, em agosto, pelo ministro Luiz Fux,  do STF.

 

Na delação, Silval Barbosa contou à Procuradoria Geral da República como funcionava o esquema de corrupção no Governo de Mato Grosso. O delator foi vice-governador no segundo mandato de Blairo – de 2007 a 2010.

 

Em 2010, Silval assumiu o Governo, quando Blairo Maggi se descompatibilizou do Executivo estadual para concorrer ao Senado. No mesmo ano, o delator foi reeleito.

 

Alair Ribeiro/MidiaNews

Operação PF

Polícia Federal cumpre mandado de busca e apreensão na Assembleia Legislativa

Silval Barbosa foi preso em 17 de setembro de 2015, acusado de recebimento de propina na distribuição de incentivos fiscais e ficou quase dois anos preso.

 

Busca e apreensão na Assembleia Legislativa (atualizada às 8h30)

 

Os policiais federais cumpriram mandados de busca e apreensão nos gabinetes dos deputados Romoaldo Júnior e Silvano Amaral, na Assembleia Legislativa.

 

A casa do dono do jornal Diário de Cuiabá, Gustavo Capilé, também foi alvo de um mandado de busca e apreensão da PF.

 

Gustavo foi acusado de ser a pessoa encarregada por Maggi de intermediar o pagamento de R$ 3 milhões a Eder Moraes, para que ele mudasse um depoimento a fim de inocentar o ministro no caso de compra de uma vaga no TCE.

 

Busca e apreensão na PGE (atualizada às 8h50)

 

A Polícia Federal também cumpriu mandado de busca e apreensão na Procuradoria Geral do Estado. O gabinete alvo foi o do procurador e ex-deputado Alexandre Cesar. 

 

Na delação, Alexandre figura como um dos beneficiários de esquema de “mensalinho”, valor mensal que variava de R$ 30 mil a R$ 50 mil, que seria pago pelo Executivo na gestão de Silval e do ex-governador e atual ministro Blairo Maggi (PP) para obter o apoio dos deputados.

 

Busca e apreensão na casa de deputados e na Sedec (atualizada às 10h)

 

Mais documentos e computadores chegaram na sede da Polícia Federal, resultado da busca e apreensão realizada na casa dos deputados Wagner Ramos (PSD), Oscar Bezerra (PSB), Gilmar Fabris (PSD), Baiano Filho (PSDB), Zé Domingos (PSD), Ezequiel Fonseca (PP), do senador Cidinho Santos (PR) e da prefeita de Juara Luciane Bezerra (PSB).

 

A Polícia Federal também cumpriu mandado de busca e apreensão na Secretaria de Desenvolvimento Econômico. O alvo foi o gabinete do secretário Carlos Avallone. A casa do irmão dele, Marcelo Avallone, também foi alvo de buscas.

 

Também foi alvo, a casa do ex-deputado Luiz Marinho.

 

Busca e apreensão na "Solução Cosméticos" (atualizada às 10h30)

 

A Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão na empresa "Solução Cosméticos", do empresário Jurandir da Silva Vieira, e na "Gendoc Sistemas e Empreendimentos", do empresário Valdisnei Amorim.

 

MPF chega à sede da PF (atualizada às 10h40)

 

Membros do Ministério Público Federal (MPF) chegaram à sede da PF acompanhado os agentes que fizeram busca e apreesão na casa do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB).

 

Além dele chegaram mais apreensões da residência do conselheiros do Tribunal de Contas de Mato Grosso, José Carlos Novelli, Valter Albano e do conselheiro afastado Sérgio Ricardo.

 

 

 

GALERIA DE FOTOS




Clique aqui e faça seu comentário


8 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Fernando Bomde  14.09.17 12h52
Todo mundo dando " parabéns"... Mas quantos de vocês não foram Eleitores desses corruptos?. Quantos realmente aprenderão a ter discernimento nas próximas Eleições? Quantos de vocês realmente é íntegro nas suas ações cotidianas ?
25
4
Palavra Viva  14.09.17 12h19
I Timóteo 6:9 "Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição, pois o AMOR ao DINHEIRO é a RAIZ de TODOS OS MALES." #SEGURAAÍ #2000ANOSDESABEDORIA #FORTE
20
0
Gonçalo  14.09.17 10h10
Gonçalo, seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas
Lisandro Peixoto Filho  14.09.17 09h24
Demorou!!! Esperamos, que não para por aí a passar a limpo atos a prática ilegais dos Poderes Públicos e Privados. Bem, que estas ações da justiça também deveriam regredir a governos anteriores no tocante ao processo de privatizações e dos atos de gestões destas empresas antes e após.
35
0
Alex R  14.09.17 08h56
Parabéns Fux!!! Ao menos 1 fazendo seu trabalho direito!
40
3

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados