Cuiabá, Quarta-Feira, 21 de Novembro de 2018
TRANSIÇÃO
07.11.2018 | 11h00 Tamanho do texto A- A+

“Números são extremamente preocupantes; haverá cortes”

Mendes disse que foi eleito com compromisso de fazer cortes e diminuir o tamanho da máquina pública

Alair Ribeiro/MidiaNews

O governador eleito Mauro Mendes: cortes em secretarias

DOUGLAS TRIELLI E CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

O governador eleito Mauro Mendes (DEM) classificou como “extremamente preocupantes” os números aos quais teve acesso a respeito das contas do Estado.

 

Em conversa com a imprensa na tarde de terça-feira (06), durante um encontro da sua equipe de transição com a do governador Pedro Taques (PSDB), o democrata disse que o Estado não consegue arrecadar o que se gasta no mês.

 

“Eu não tive acesso ainda a todas as informações necessárias, mas, preliminarmente, as que temos mostram claramente que Estado hoje tem enormes dificuldades financeiras. Os números são extremamente preocupantes. Mato Grosso, hoje, deve para centenas de fornecedores, deve aos Poderes, aos Municípios e não consegue arrecadar as despesas que tem no mês”, afirmou.

 

Mendes afirmou que o Executivo vem deixando dívidas a cada mês. Conforme dados da Secretaria de Fazenda, devem ficar para sua gestão R$ 1,7 bilhão em restos a pagar, sendo que R$ 1 bilhão não possui lastro financeiro.

 

Durante toda campanha disse que íamos fazer corte de despesa, fiz esse compromisso. Fui eleito com compromisso de tornar o Estado menor

“A cada mês que passa, vão ficando contas para trás. Se nós aumentarmos ainda mais as despesas, vão ficar mais gente sem receber. Inclusive o próprio servidor, que é o que já tem acontecido e que, provavelmente, com o aumento de despesa vamos ter uma piora desse cenário econômico”, disse ele, referindo-se ao pagamento da Revisão Geral Anual (RGA).

 

O governador eleito confirmou que assim que assumir irá extinguir uma série de secretarias. Nos bastidores a informação é de que os alvos devem ser os gabinetes criados pela Gestão Taques. A fusão de algumas Pastas também pode ocorrer.

 

Mendes disse ter sido eleito com o compromisso de diminuir o tamanho da máquina pública.

 

“Neste momento, é este o desafio que estamos estudando. Durante toda campanha disse que íamos fazer corte de despesa, fiz esse compromisso. Fui eleito com compromisso de tornar o Estado menor, que custe menos e que seja mais eficiente. Vamos trabalhar nessa direção, é esse o compromisso”, afirmou.

 

“Não gosto de antecipar decisões, porque elas têm que ser tomadas com muita responsabilidade. Eu não vou tomar decisões precipitadas. Temos, ainda, um tempo para estudar e é o que temos feito, vendo dados, vendo informações, observando, analisando, cruzando informações internas para traçar o real cenário, que é muito preocupante e aí criar alternativas. Mas posso adiantar que seguramente haverá corte de secretarias e de cargos comissionados”, completou.

 

Leia mais sobre o assunto:

 

“Só temos informações extraoficiais; é necessário mais interação"

 

Mendes: “Se tiver greve, piora ainda mais as finanças do Estado”

 

Pivetta defende corte de 3.500 cargos de confiança do Governo




Clique aqui e faça seu comentário


COMENTÁRIOS
5 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Junior  08.11.18 11h52
E quando o Agro vai começar a contribuir com o Estado? Todo mundo carrega o Estado nas costas e o Estado carrega o Agro com a isenção de impostos, já deu!
6
3
Aldo Vicente Filho  07.11.18 17h05
Até poucos dias atrás, um pouco antes das eleições era apenas uma questão de gestão, ou seja não tinha crise "só falta de gestão". E agora eleitor, foi enganado de novo?
43
1
Luiz  07.11.18 14h03
Foi eleito com o compromisso de fazer cortes e diminuir a máquina? Como assim? Em campanha disse que terminaria o VLT em 01 ano. Disse também que o Estado arrecada muito, mas o dinheiro era mau administrado. Disse ainda que manteria projetos do atual governo como a caravana da transformação e, se possível, até melhoraria. Pois é, o povo se lascou e, quem terá vez nesse Governo serão os funcionários do executivo, legislativo, judiciário e empresários. Mesmo o Taques não sendo um excelente Gestor, fez muito pelos que mais precisavam, agora colocaram no Governo um Mito criado pela cuiabania e principalmente pela oposição, oposição esta que estava com o Taques até pouco tempo.
33
16
lopes  07.11.18 12h19
UAI !MAS ATE MÊS PASSADO A CASA ESTAVA ARRUMADA.
28
2
Talisia  07.11.18 11h53
SENHOR GOVERNADOR ELEITO MAURO MENDES, NÃO É SÓ FAZER CORTES, FAÇA O QUE O ATUAL NÃO FEZ QUE É DEFENDER A FLORESTA DO ESTADO DE MATO-GROSSO QUE VEM SOFRENDO BASTANTE COM O DESMATAMENTO ILEGAL A MUITO TEMPO. A BUSCA INCESSANTE PELO LUCRO E O COMODISMO DAS NOSSAS AUTORIDADES FORAM AS PRINCIPAIS CAUSAS DESTE TRÁGICO PROBLEMA, E TAMBÉM A PORTA DO ESTADO ESTÁ ABERTA ( SEM FISCALIZAÇÃO ) PARA O TRANSPORTE DE MADEIRAS COMO A CASTANHEIRA (PROIBIDA DE CORTE) E TANTAS OUTRAS, E AINDA MAIS A FISCALIZAÇÃO E A IDENTIFICAÇÃO DE MADEIRAS SEMPRE INCOMODOU E INCOMODA A MAIORIA DOS DEPUTADOS E AQUELES QUE QUEREM ANDAR NA ILEGALIDADE, A FLORESTA É PARA A PRESENTE E AS FUTURAS GERAÇÕES.
36
5