ENQUETES

Qual sua expectativa sobre a seleção brasileira nesta Copa?

PUBLICIDADE

Política / CRISE DE CAIXA
07.03.2018 | 09h38
Tamanho do texto A- A+

Governo do Estado diz que frigoríficos apoiam criação de fundo

Contribuição do setor virá por meio do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços

Alair Ribeiro/MidiaNews

Clique para ampliar

O secretário de Estado de Fazenda, Rogério Gallo

DA REDAÇÃO

O Governo do Estado afirmou que tem o apoio do Sindicato das Indústrias Frigoríficas de Mato Grosso (Sindifrigo) para criar o Fundo Emergencial de Estabilidade Fiscal (FEEF).

 

Segundo o Executivo, a confirmação foi dada pelo presidente da entidade, Luiz Antônio Freitas, e representantes de frigoríficos ao secretário de Fazenda, Rogério Gallo, durante reunião nesta terça-feira (06).

 

A contribuição do segmento virá por meio do recolhimento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) a incidir sobre as vendas no mercado mato-grossense e cujo percentual ainda será fechado. Atualmente, a comercialização interna é isenta de tributação.

 

“Creio que nos próximos anos, com a retomada da economia, teremos outro cenário. O fundo será criado para funcionar em até 36 meses, mas a expectativa é a de que possa ser extinto antes disso, com a estabilidade já alcançada”, afirma o secretário.

 

O presidente do Sindifrigo lembrou que a parceria formada desde o início entre esta gestão e o segmento está mais uma vez sendo reforçada.

 

“O Governo nos procurou preocupado e mostrou a necessidade do apoio para buscar o equilíbrio das contas públicas. Nós também passamos por um momento difícil, mas entendemos os argumentos e, em função da parceria e do respeito que existe hoje entre o governo e a indústria frigorífica de Mato Grosso, estamos concordando em participar com o FEEF. Temos acompanhado o esforço do governo para buscar a reestruturação fiscal do Estado”.

 

Luiz Freitas lembrou que o diálogo com o segmento teve início em 2015, quando o Executivo concedeu isonomia à atividade, estabelecendo uma alíquota única de ICMS para todos os frigoríficos, nas vendas interestaduais.

 

“Esse diálogo é importante para Mato Grosso porque leva todos ao objetivo comum, de retomada do desenvolvimento econômico e social e de mais investimentos nas políticas públicas para a população mato-grossense”, reafirma o secretário.

 

A previsão é a de que o projeto seja encaminhado ao legislativo nos próximos dias. As demais contribuições virão das empresas beneficiadas com incentivo fiscal. Será cobrado um percentual sobre o ICMS incentivado.




Clique aqui e faça seu comentário


1 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

bet  07.03.18 15h29
Quem vai pagar vai ser o consumidor através do repasse nos preços das carnes!. Eu reduzi meus gastos em casa, não saio para me divertir, compro menos produtos super falos. Por que o estado não reduz sua despesa?
14
0
1999-2018 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados