ENQUETES

Como você avalia o atendimento do Detran-MT?

PUBLICIDADE

Política / CAB CUIABÁ
16.05.2017 | 15h19
Tamanho do texto A- A+

Emanuel quer garantias de empresa e diz que não aceitará “malandros”

Prefeito diz que pode reavaliar decisão de Mendes sobre contrato com credora do Grupo Galvão

MidiaNews

Clique para ampliar

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro: contrato do saneamento sob análise

DOUGLAS TRIELLI
DA REDAÇÃO

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (PMDB) revelou que pode romper o contrato com a RK Partners Assessoria Financeira, empresa credora do Grupo Galvão, que assumiu o controle acionário da CAB Ambiental, caso não seja apresentada garantias de que a empresa tem condições de cumprir com os investimentos previstos.

 

A intervenção na empresa se encerra nesta quarta-feira (17). Este é o prazo para que a credora apresente como pretende investir R$ 204 milhões em 18 meses e R$ 1,2 bilhão em sete anos.

 

“Conversei com a empresa recuperadora de ativos, que está respondendo pelo sistema, e disse que Cuiabá não é cobaia. Não vamos servir de experiência para neófitos no assunto saneamento. Quero o compromisso de uma empresa que tenha expertise no assunto. Não seremos laboratório para quem quer começar a investir no sistema”, disse.

 

O que posso dizer é que não estou sentido segurança como gestor. Não vou usar dessa autoridade, concedida pela população cuiabana, de forma leviana

O peemedebista quer saber de onde a recuperadora irá tirar dinheiro para fazer o que determina o novo contrato. Caso as garantias não sejam apresentadas, ele irá decretar a caducidade do contrato, assumir o saneamento e realizar um novo processo licitatório.

 

Isso porque, segundo ele, a Prefeitura de Cuiabá não tem caixa suficiente para fazer os investimentos para universalizar o saneamento da Capital.

 

“Houve uma engenharia que eu herdei. Sei que foi com boa intenção, mas precisa de estudo. Eles [RK Partners] pedem um prazo maior, precisam ver questões judiciais, alegam que vão cumprir o que determina o plano municipal, mas não me dão garantias”, afirmou Emanuel.

 

“O que posso dizer é que não estou sentido segurança como gestor. Não vou usar dessa autoridade, concedida pela população cuiabana, de forma leviana. Quero toda a segurança para Cuiabá. Não vamos aceitar mais malandragem com o saneamento. A população cuiabana exige isso. Não que seja a intenção dessa empresa, mas é assim que vou decidir sobre essa questão”, disse.

 

A empresa

 

A RK Partners é uma empresa de consultoria especializada em reorganizações empresariais complexas. Eles assumiram a gestão do saneamento no final da gestão do ex-prefeito Mauro Mendes (PSB).

 

Segundo o site da empresa, seus “sócios e equipe possuem ampla experiência em projetos de reestruturação financeira e operacional em setores variados, tendo obtido sucesso em todos os seus casos”.

 

Dentre as exigências do contrato com o Município está uma cláusula pétrea, que impede o Grupo Galvão de voltar a deter o controle acionário da empresa em caso de descumprimento dos serviços por parte da RK Partners.

 

Além disso, a nova empresa não poderá manter nenhum dos antigos diretores da CAB Cuiabá trabalhando e deverá apresentar um plano de investimentos a cada ano de concessão.

 

Leia também:

 

Grupo assume a CAB Cuiabá e deve investir R$ 1,2 bi em 7 anos




Clique aqui e faça seu comentário


1 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Anival  16.05.17 16h19
TEM QUE FAZER ELES REFAZEREM AS PISTA DE CUIABÁ, COM ESSES TAPA BURACOS FEITOS POR ELES, APÓS CONSERTO DE VAZAMENTOS...TÁ HORRÍVEL, ANTES ATÉ DEIXAR O BURACO, PQ ACABA PULANDO COM O CARRO E MOTA DEPOIS QUE PASSA NESSAS LOMBADAS QUE SÃO DEIXADO.
12
1

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados