ENQUETES

A que você atribui a renovação da Assembleia e da Câmara neste ano em MT?

PUBLICIDADE

Política / CRISE FISCAL
16.03.2018 | 10h47
Tamanho do texto A- A+

“Clima na AL não é favorável para aprovar fundo”, diz Botelho

Projeto do Governo Pedro Taques tem expectativa de arrecadar até R$ 500 milhões em um ano

Alair Ribeiro/MidiaNews

Clique para ampliar

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho

DOUGLAS TRIELLI
DA REDAÇÃO

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (PSB), afirmou que o clima não é favorável para a aprovação do Fundo Emergencial de Estabilidade Fiscal (FEEF), que tem expectativa de arrecadar até R$ 500 milhões em um ano.

 

Segundo o parlamentar, a grande maioria dos colegas não é favorável ao projeto do Executivo. Outras questões, como o não pagamento das emendas impositivas, também pesam contra o Governo no Legislativo neste momento.

 

“Eu acredito que vai ter que ter uma discussão muito grande a respeito do fundo proposto pelo Governo. Hoje, o clima na Assembleia não é favorável para a aprovação”, revelou Botelho.

 

Ele deve enviar amanhã [sexta-feira] ou nos próximos dias. Ele prometeu isso. Mas, como disse, tem que ter uma discussão grande

O deputado disse, ainda, que o governador deve enviar nos próximos dias o projeto. Nesta semana, o chefe do Executivo disse não ter pressa para o envio à Assembleia e que o diálogo sobre a questão somente terminará depois que ele “ficar rouco".

 

“Ele deve enviar amanhã [sexta-feira] ou nos próximos dias. Ele prometeu isso. Mas, como disse, tem que ter uma discussão grande com os deputados para que possa aprovar esse fundo”, completou.

 

O fundo 

 

Até o momento, as contribuições confirmadas para o Fundo são de empresas beneficiadas com incentivo fiscal e do setor frigorífico. Elas devem contribuir por meio do recolhimento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

 

O governador Pedro Taques (PSDB) disse que outros setores já concordaram com a ajuda.

 

Em tese, o Fundo de Estabilização Fiscal é um mecanismo que permite ao Governo retirar recursos de uma determinada área para usar em outra.

 

A medida é vista como “imprescindível” pelo Executivo, uma vez que os recursos da Fonte 100 do Estado não dão sequer para fazer o pagamento aos Municípios, duodécimos aos Poderes e salário dos servidores.

 

Leia mais sobre o assunto:

 

Taques: "Diálogo tem que terminar depois que ficarmos roucos"

 

Blairo critica taxação do agronegócio e prevê resistência a Fundo

 

"Ajuda de Poderes a fundo depende da economia de cada um"

 

Governo deve R$ 90 mi ao MPE, que não deve contribuir com fundo

 

Governo do Estado diz que frigoríficos apoiam criação de fundo

 

Novo fundo do Executivo terá R$ 500 mi em um ano, diz Taques

 

Sefaz cita déficit de R$ 3 bi e diz: sem medida, hospitais fecham

 

Taques projeta cenário sombrio e propõe fundo contra crise

 

 

 




Clique aqui e faça seu comentário


0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia
1999-2018 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados

Ver em: Celular - Web