ENQUETES

A que você atribui a renovação da Assembleia e da Câmara neste ano em MT?

PUBLICIDADE

Polícia / OPERAÇÃO
09.08.2018 | 09h02
Tamanho do texto A- A+

Polícia diz que loja de informática de VG lavava dinheiro de facção

Grupo teria movimentado mais de R$ 50 milhões; joias, carros, casas e até fazenda foram apreendidos

Divulgação

Clique para ampliar

O grupo foi investigado pela Gerência de Combate ao Crime Organizado

JAD LARANJEIRA
DA REDAÇÃO

A Polícia Civil descobriu, durante as investigações da Operação "Red Money", que uma pequena loja de informática, no Bairro Jardim Glória 1, em Várzea Grande, era a responsável pela lavagem da maior parte do dinheiro movimentado pela facção Comando Vermelho em Mato Grosso.

 

A deflagração da ação aconteceu na manhã desta quarta-feira (8) e foram cumpridas mais de 230 ordens judiciais, sendo 94 mandados de prisão preventiva, 59 buscas e apreensão, 80 ordens judiciais de bloqueios de contas correntes, além de sequestro de bens (veículos, joias, imóveis) e valores.

 

Segundo a Polícia, a empresa de informática foi constituída em fevereiro de 2017 e estava no nome de Jonas Souza Gonçalves Júnior, conhecido como “Batman”, uma das principais lideranças da organização.

 

De lá pra cá, foi identificado que os criminosos movimentaram cerca de R$ 50 milhões por meio de 44 contas bancárias, entre entradas e saídas.

 

Jonas já estava preso, condenado por assalto a agências bancárias. Ele era responsável pelo departamento financeiro da organização.

 

Ele realizava a maior parte da movimentação do dinheiro por meio de sua esposa - presa na operação -, que também fazia parte do esquema, segundo  a Polícia Civil.

 

A facção arrecadava, por mês, cerca de R$ 170 mil - mais de R$ 1,2 milhão por ano - com as mensalidades pagas pelos membros, além de outras fontes de sustentabilidade da organização criminosa.

 

Segundo o delegado Luiz Henrique Oliveira, da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), em apenas quatro meses, a empresa movimentou cerca de R$ 800 mil. No período de um ano e seis meses, houve a circulação de algo em torno de R$ 5 milhões.

 

Apreensões

 

Além das prisões, foram apreendidos mais de 60 veículos - que juntos somam aproximadamente R$ 1,7 milhão – além de joias e dinheiro.

 

A fazenda apreendida fica localizada em Salto do Céu. Além disso, foi feita a interdição de duas empresas de informática, localizadas em Várzea Grande, que eram usadas para a realização de lavagem de dinheiro.

 

Leia mais sobre o assunto:

 

Operação contra facção prendeu 94 e apreendeu mais de 60 carros

 

Facção movimentou R$ 52 milhões em um ano e meio, diz Polícia

 

Polícia Civil cumpre 94 ordens de prisão contra facção em MT

 




Clique aqui e faça seu comentário


0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia
1999-2018 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados

Ver em: Celular - Web