Cuiabá, Terça-Feira, 13 de Novembro de 2018
VEJA O VÍDEO
12.03.2018 | 14h25 Tamanho do texto A- A+

Homens que se dizem de facção ameaçam alunos; GCCO apura

Polícia Civil foi até a unidade na manhã desta segunda-feira, porém não conseguiu identificar ninguém

Reprodução/Montagem

O vídeo foi feito na escola estadual Palmiro de Amorim Silva, que fica no CPA 3

JAD LARANJEIRA
DA REDAÇÃO

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um grupo de alunos sendo ameaçado por homens que se dizem membros do Comando Vermelho, em Cuiabá.

 

O caso aconteceu na escola estadual Palmiro de Amorim Silva fica localizada no CPA 3 setor 1.

 

Nas imagens, os alunos estão todos de joelhos, na quadra poliesportiva na unidade escolar, enquanto dois homens fazem ameaças por estarem fumando dentro do local.

 

Os supostos integrantes da facção, que não aparecem no vídeo, ainda alertam que é melhor eles repreendê-los do que a Polícia Militar.

 

“Cês tão atrasando nosso corre, os cara tão ligando lá no CPA pra dar parte de vocês. É melhor ‘nós vir’ do que os homens vir e prender vocês tudinho de suas casas [sic]”, diz um deles.

 

Em seguida a segunda pessoa ainda afirma que a diretora e o guarda da escola estão os apoiando e que a Polícia não irá ajudá-los.

 

“’Nós’ tá dando um alerta pra vocês. E é a diretora que tá com nós, entendeu o guardinha? Nós estamos avisando que não pode. Na segunda que nós pegar vocês, vamos quebrar tudo no pau. E se tiver irmão envolvido [membro do CV] no meio, nós vai arrumar uma disciplina grande também. Hoje em dia Polícia não resolve mais nada, quem resolve é o Comando, vocês estão ouvindo, né?”, afirmou.

 

A dupla ainda ameaça os garotos, caso eles denunciem a repreensão para alguém.

 

“Nós é do Comando Vermelho MT, e se vocês fumar, ou ‘caguetar’ ou contar para família, cês tão no pau. O meu sangue até ferve de ter que largar as coisas lá em casa pra ter que vir aqui resolver ‘esse trem’ que já foi ‘passado a visão’ pra não estar fumando. Vocês já sabem: se pegar ‘cês’ na rua fumando o bagulho vamo quebrar vocês no pau. Vou passar no carro e vou dar tiro só de pistola”, eles falam.

 

Por fim, os homens ainda falam que, a partir de agora, eles irão até a escola todos os dias, de manhã, tarde e noite.

 

“Nós vai vir todo dia cedo tarde e noite, entendeu? Pode espalhar essa voz.  Aqui estuda criança especial, filho de preso”.

 

GCCO foi até escola

 

Após tomar conhecimento do vídeo, o Grupo de Combate ao Crime  Organizado (GCCO) foi até a escola e fez uma varredura para tentar identificar os envolvidos. No entanto, ninguém quis falar nada.

 

Um inquérito deve ser instaurado pela Polícia Civil para investigar o caso.

 

Veja o vídeo:

 

 

Nota da Seduc

 

A assessoria de comunicação da Secretaria de Educação do Estado afirmou nesta segunda-feira, por meio de nota, que acompanhará as investigações para saber se realmente os alunos que aparecem no vídeo é da escola Palmiro de Amorim, e assim, tomará as providências cabíveis.

 

Confira a nota na íntegra:

 

Sobre o vídeo que circula pelas redes sociais no Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja) Prof. Almira de Amorim Silva, a Secretaria de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) informa que:


1 – Na manhã desta segunda-feira (12), uma equipe da Secretaria se reuniu com a gestão da escola e com investigadores da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) da Polícia Judiciária Civil – que atendeu a uma denúncia de notícia-crime;

2 – A própria autoridade policial registrou Boletim de Ocorrência e iniciou as investigações sobre o caso, a fim de identificar os envolvidos e se os jovens que aparecem na gravação são, realmente, alunos da instituição;

3 – A Secretaria ressalta que cabe às autoridades policiais a investigação e esclarecimento dos fatos. Para tanto, fornecerá todas as informações e apoio necessário para elucidação dos mesmos;

4 – Sobre as ações pedagógicas no ambiente escolar, a Seduc destaca tem desenvolvido atividades integradas para reduzir a evasão escolar, combater a indisciplina, a infrenquência e a infração no ambiente escolar;

5  – Criou também o projeto Anjos da Escola que atua em parceria com a Rede de Proteção Integral, formada por órgãos como Ministério Público (Vara da Infância e Juventude, PROCEVE); Poder Judiciário-MT (Núcleo de Mediação e Conciliação de Conflitos); Defensoria Pública (Núcleo de Mediação e Conciliação de Conflitos); SES-MT - Programa de Saúde na Escola (PSE); SSP: Polícia Militar (Rede Cidadã, Proerd, Batalhão Escolar) /Polícia Civil (Delegacia da Infância e Juventude); Conselho Tutelar; e CRAS);

6 – Por fim, a Seduc reafirma seu compromisso com a qualidade do ensino e segurança dos cerca de 400 mil estudantes da rede estadual, das suas 763 unidades escolares, e esclarece que, assim como a gestão do Ceja Almira, não compactua com atos de violência e constrangimento como os registrados.

 




Clique aqui e faça seu comentário


COMENTÁRIOS
4 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

vitor  13.03.18 18h56
Só falta eles começarem a cobrar pedágio dos moradores.
0
0
CRIS   13.03.18 07h27
Meu Deus, o MT ta igual o Rio de Janeiro, se o poder publico juntamente com a policia não agirem imediatamente, vamos perder o estado para o comando vermelho(se já não perdeu)
35
8
Marcelo   13.03.18 06h31
Se existe-se ronda policial em escolas isso não aconteceria.
27
5
José Silva da Cruz Filho  12.03.18 18h37
Já foi, Cuiabá esta perdida, a policia não tem força pra vencer eles, quer dizer o governo. Triste realidade!
24
11