ENQUETES

Você acha que os políticos, conselheiros e empresários alvos da PF serão condenados?

PUBLICIDADE

Opinião / ONOFRE RIBEIRO
09.05.2017 | 07h59
Tamanho do texto A- A+

Turbulências

Falar sobre o período de 2014 a 2017 é deprimente. Sensação de caos geral!

Em 2014 o Brasil começou a dar sinais de turbulências, mas ninguém os decifrou a tempo. Apesar dos sinais, Dilma Rousseff elegeu-se num Brasil dividido entre o vermelho das esquerdas e o azul das demais tendências. Mas no meio a população percebeu claramente que estava dividida entre o “nós e eles”. “Nós” era a esquerda. Bondosa, auto-intitulada gentil e preocupada com o social. “Eles” eram os demônios fora do circulo do “bem”, também auto-intitulado pela esquerda.

           

No discurso de posse Dilma vestiu-se de branco e acenou com a paz, ao lado de um Lula e outros líderes petistas vestidos de vermelho. Em quem acreditar? No primeiro dia do seu segundo mandato e 92 dias depois da eleição uma Dilma menos arrogante anunciou a agenda do caos que na campanha atribui ao adversário Aecio Neves. Estavam estabelecidos o caos econômico primeiro, o político depois e a crise da corrupção generalizada logo a seguir.

 

O longo debate sobre o impeachment paralisou a já arruinada economia     

O governo acabava antes de recomeçar. Dali pra frente o país desceu uma longa rampa de decadência. Estavam encobertas debaixo do tapete uma enorme crise política, uma enorme crise fiscal, uma enorme crise na gestão pública, uma enorme crise entre os poderes, uma enorme vala de corrupção generalizada e a sensação de que o país estava afundando no mar profundo. Tudo com efeitos devastadores sobre a sociedade e sobre a economia.

           

O longo debate sobre o impeachment paralisou a já arruinada economia. No rastro as crises política na relação com o Congresso Nacional e depois com a absoluta falta de ética na condução dos negócios em torno do governo. No futuro quando a História escrever esse período certamente deixará envergonhados todos que viveram no período. A nação ficou de quatro.

           

Falar sobre o período de 2014 a 2017 é deprimente. Sensação de caos geral!

           

Na Alemanha pós-guerra, o governo preservou todos os campos de concentração nazistas onde morreram milhões de judeus. A idéia era a de que as gerações futuras precisariam conhecer os desatinos de uma época pra nunca mais se repetirem. A História terá que mostrar os dados que restarão. Certamente envergonharão as gerações futuras. Muitas mentiras, falsidades, corrupção, desmandos e a impunidade produzindo ridículos personagens e ridículas teorias sobre o nada!

           

E nós acreditamos neles!

 

Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso

onofreribeiro@onofreribeiro.com.br   www.onofreribeiro.com.br




Clique aqui e faça seu comentário


0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Leia mais notícias sobre Opinião:
Setembro de 2017
24.09.17 07h00 » Sobre censuras
24.09.17 06h58 » Setembro chegou sem FEX
24.09.17 06h50 » Sorriso e autoestima
24.09.17 06h40 » De filhos e netos
24.09.17 06h30 » Zangou tudo
23.09.17 21h00 » Secretário tem mandato ou é mandado?
23.09.17 20h00 » 2018: incesto eleitoral
23.09.17 06h50 » Educação Política (23)
23.09.17 06h40 » O casal e a sexualidade
22.09.17 22h00 » Fica, Mauro Zaque!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados