ENQUETES

Você aprova ou desaprova o início da gestão Emanuel Pinheiro?

PUBLICIDADE

Opinião / ONOFRE RIBEIRO
08.01.2017 | 07h00
Tamanho do texto A- A+

Repercussão e liberdade

Estamos tratando na mídia a vida como se ela só existisse hoje. O resultado são os abusos que se cometem em todas as áreas

Peço desculpas, mas este artigo traz um puxão de orelha nos editores de jornais, de televisão, de rádio, de revistas, de sites e de blogs. Os editores não pautam o seguimento dos assuntos. Um assunto hoje. Outro amanhã. Como se os fatos não fossem encadeados. Vou dizer o porquê do puxão de orelhas.

 

Na época da ditadura militar, a liberdade de imprensa era muito restrita. Os editores de então usavam a repercussão das notícias para contestar as versões oficiais da política e da economia emitidas pelo governo. Como funcionava?

 

Uma declaração ou nota oficial era repercutida com profissionais liberais, com líderes políticos, ou econômicos, e ainda, com instituições civis. Na época, especialmente as ligadas aos direitos humanos.

 

Esses desmontavam as versões oficiais e criavam uma enorme dor de cabeça para os governantes da ditadura. No dia seguinte o governo reagia e de novo a repercussão.

Não adianta os editores se indignar nas mesas de bar ou teorizar nos grupos de whatsapp se na prática não guiarem os seus repórteres para realidade

 

Não raro o governo voltava atrás e admitia erros, abusos e desmandos. Se a imprensa da época não repercutisse ficaria valendo só a versão oficial e reforçava a ditadura.

 

Os assuntos eram perseguidos diariamente até se esgotarem. Os desdobramentos costumam ser fantásticos! Atualmente, toda a mídia de Mato Grosso desaprendeu a repercutir os fatos.

 

Noticia uma versão oficial ou uma declaração sobre um assunto. E morre aí! Se a outra parte não reagir o assunto acaba. Não importa a sua gravidade, ele morre de velhice prematura na mão dos editores.

 

O exemplo dos motins nas penitenciárias, exceto A Gazeta, nenhum outro veículo da mídia abordou o assunto sobre os riscos em Mato Grosso. E mesmo assim, as notícias serão esporádicas e não tratadas como uma série de um mesmo assunto quer pode se desdobrar em importantes crises ou transformações políticas e sociais.

 

Na prática é como se não houvesse um amanhã. Estamos tratando na mídia a vida como se ela só existisse hoje. O resultado são os abusos que se cometem em todas as áreas.

 

Como não se persegue o assunto nos seus desdobramentos os agentes públicos ou privados apostam na preguiça ou na ignorância dos editores pra aprontar o que quiserem.

 

Não adianta os editores se indignar nas mesas de bar ou teorizar nos grupos de whatsapp se na prática não guiarem os seus repórteres para realidade. Os fatos nascem hoje. Tiveram origem ontem.

 

Serão novos fatos amanhã, e na semana que vem serão a História. Mas as universidades negam aos estudantes de Jornalismo a existência da História.

 

A estupidez do “Nunca antes na história desse país...” povoa as salas de aula e depois replica nas redações. Não adiantam modernidades tecnológicas se os jornalistas ignoram a dinâmica da vida social, econômica e política.

 

Os editores prestariam um enorme favor à sociedade se compreendessem a importância dos fatos de todos os dias, ligados pelo fio da História. E os repercutissem ater se esgotarem. Isso é imprensa e História!

 

ONOFRE RIBEIRO é jornalista em Mato Grosso.




Clique aqui e faça seu comentário


0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Leia mais notícias sobre Opinião:
Fevereiro de 2017
21.02.17 11h37 » Nojo dos "haters"
21.02.17 08h28 » É verdade?
21.02.17 08h24 » A inovação do tédio
21.02.17 08h13 » O carnaval de rua em Cuiabá
21.02.17 08h07 » Cuiabá 300 anos
20.02.17 08h15 » É moral indenizar presos?
20.02.17 08h12 » Por que uma empresa não vende?
20.02.17 07h50 » A turma dos jatinhos e helicópteros
20.02.17 07h40 » A patricinha não estuda história
20.02.17 07h20 » Greve proibida

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados