Cuiabá, Sexta-Feira, 18 de Janeiro de 2019
ARNO SCHNEIDER
09.01.2019 | 07h30 Tamanho do texto A- A+

Melancias no Alasca?

Afirmam que nações, ecossistemas e modos de vida deixarão de existir

Após a conferência do clima realizada na Polônia, promovida pela ONU, sobre mudanças climáticas foram novamente prognosticados eventos sombrios se nada for feito com relação a redução das emissões dos gases de efeito estufa (GEE).

 

Disse o secretário geral da ONU: “Já é uma questão de vida ou morte. Estamos na iminência de não haver mais tempo para reverter a situação.”

 

Segundo o relatório, já estão ocorrendo eventos climáticos cada vez mais extremos e sem precedentes.

 

Uma novidade deste último relatório foi a introdução das migrações da América Central e México para os EUA, como sendo decorrentes do aquecimento global. Alertam para um provável deslocamento de outras dezenas de milhões de pessoas de áreas tropicais e subtropicais, principalmente da Índia, para regiões mais temperadas.

 

Será mesmo que estas mudanças já estão em curso e que estes prognósticos são verdadeiros?

Chegam a afirmar que nações inteiras, ecossistemas e modos de vida, simplesmente deixarão de existir.

 

Será mesmo que estas mudanças já estão em curso e que estes prognósticos são verdadeiros?

 

Para começar, não há nenhum relato de um evento climático extremo acontecido nos últimos 30 anos (desde a criação do painel) que já não tenha ocorrido antes em igual ou pior intensidade ou frequência.

 

Entre os anos de 850 até 1250 da nossa era, houve um aquecimento do planeta, que permitiu aos vikings colonizar a Groenlândia, hoje coberta de gelo.

 

Mais recentemente, verificou-se um aquecimento de 1925 até 1946, seguido de um resfriamento de 1947 até 1976, que causou o fim dos cafezais no norte do Paraná. Na sequência, até 1998 ocorreu um novo aumento de temperatura, seguido de estabilidade climática até os dias atuais.

 

As emissões naturais de CO² do planeta somam aproximadamente 200 bilhões de toneladas. E as antropogênicas, 6 a 7 bilhões. Somente 3 a 3,5% das emissões totais são por causa humana. Será que este pequeno adicional teria o potencial de modificar o clima?

 

É bem provável que as oscilações do clima possuam causas cósmicas.

 

Desvios cíclicos da trajetória da Terra ao redor do Sol podem causar alterações de frio e calor. Manchas solares que são um indicativo da maior ou menor atividade solar, são cíclicas e influenciam o clima.

 

A inclinação do eixo da Terra e a variação da orbita lunar também tem oscilações periódicas que influenciam o clima e o aumento do nível dos oceanos.

 

Quando Einstein enunciou a sua “teoria da relatividade”, 100 cientistas fizeram um manifesto contestando seu trabalho. Einstein respondeu: por que 100? Basta 1 que apresente prova válida.

 

O debate publico sobre o aquecimento global e mudanças climáticas, já fugiu da ciência. Estes títulos já foram sequestrados pelos políticos de ocasião e pelas barulhentas utopias de uma parte dos ambientalistas.

 

No meu entender o Painel do Clima não está jogando limpo.

 

Não há nenhuma probabilidade de ocorrer um colapso planetário imediato, causados pelas emissões antropogênicas de GEE.

 

É razoável, portanto, que não se estabeleçam políticas públicas, muitas vezes caras, para resolver hipotéticas mudanças climáticas, para as quais a ciência ainda não deu o seu veredito final.

 

É preciso incentivar um debate amplo, à luz unicamente da ciência.

 

Todas as vezes que o painel do clima da ONU se manifesta, não promete a vinda de um profeta, mas garante o apocalipse.

 

Faz 30 anos que estão nos dando um susto atrás do outro, prognosticando o caos planetário em função do aquecimento global.

 

Se isto fosse verdade, já deveríamos estar a meio caminho da fritura e o estado americano do Alasca já seria o campeão de produção de melancias.

 

ARNO SCHNEIDER é engenheiro agrônomo e pecuarista. 

 



Clique aqui e faça seu comentário


COMENTÁRIOS
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Leia mais notícias sobre Opinião:
Janeiro de 2019
17.01.19 07h43 » O ovo da serpente
17.01.19 07h33 » Missões de estadistas
16.01.19 07h02 » Para além das cores
16.01.19 07h01 » Educação financeira
16.01.19 07h00 » Plea bargain e acordos penais
16.01.19 06h59 » Pacto por Mato Grosso
15.01.19 07h15 » Por que fechar a MTI?