ENQUETES

Nessas eleições, você pretende:

PUBLICIDADE

Opinião / EDUARDO PÓVOAS
14.02.2018 | 06h00
Tamanho do texto A- A+

Ao vice Carlos Fávaro

O povo brasileiro não aguenta pagar mais impostos. Nós não somos culpados pelas falcatruas que noventa por cento do Congresso Nacional e chefes de poderes

Senhor Carlos Fávaro, tive a oportunidade de conhece-lo e conversarmos por cerca de cinco minutos (talvez?) na posse do procurador-geral de Justiça.

 

Gostei muito da sua conversa, aliás, tenho gostado muito das conversa com políticos que não venho a escutar “nego veementemente” ou “sou inocente”, e estes termos safados e sem nenhum amparo de pudor, não escutei do senhor.

 

Medi, medi e conclui que seu palavreado, apesar de ser vice governador do Estado é de um amador. Amador na política, e que até me provem contrário, cheio de boas intenções e sem nenhum problema com a justiça.

 

Senhor Carlos Fávaro, pagar IPVA é de lei, e eu não estou aqui defendendo mal pagadores, mas a humilhação pela qual passam alguns desses devedores, é de dar dó

Senhor Carlos Fávaro, nossa população tem acompanhado sua defesa intransigente dos produtores rurais, o que eu também faria se estivesse no seu lugar, mas, com a mesma garra que o senhor tem usado para defender seus colegas produtores e, com muita justiça, espera ansiosamente o povo que anda “duro e teso” pelas ruas da Capital, que o senhor mostre suas unhas e dentes na defesa da população cuiabana por ocasião das blitz efetuadas pelo Detran com relação aos devedores de IPVA.

 

Senhor Carlos Fávaro, pagar IPVA é de lei, e eu não estou aqui defendendo mal pagadores, mas a humilhação pela qual passam alguns desses devedores, é de dar dó.

 

Muitos que tem seus carros apreendidos dependem dele para o sustento de sua família. Não haverá outra maneira de se resolver estes casos?

 

O senhor já viu isso? Nem todos que devem são bandidos. Grande parte desses devedores deve por não ter condições financeiras de efetuar o pagamento. Vivem de seus míseros salários, sem ajuda moradia, sem verba de gabinete e muito menos verba indenizatória (indenizar de que prejuízo?).

 

Nesse caminho, senhor vice governador, daqui a pouco, ao nascermos, teremos implantado no nosso ânus um tacógrafo para identificar quantos peidos daremos por dia, e a serem cobrados pelo governo para tentar minimizar a falência do estado brasileiro criada por políticos desde o nosso império. Ou de certo dentistas, médicos, advogados, engenheiros ou economistas que levaram este país à pré falência?

 

Sugiro também que se calcule a massa corporal do cidadão de dez em dez anos para cobrar o ar que ele respira, talvez desta maneira minimizemos os desfalques causados por Gedell, irmãos Batista e companhia Ltda.

 

Senhor Fávaro, o povo brasileiro não aguenta pagar mais impostos. Nós não somos culpados pelas falcatruas que noventa por cento do Congresso Nacional e chefes de poderes protagonizaram aos cofres da nação.

 

Vice governador, com a mesma chibata que o senhor defende o agronegócio, esperamos ver seus dentes e suas unhas, junto com a chibata, a nos defender.

 

EDUARDO PÓVOAS é pós-graduado pelo UFRJ




Clique aqui e faça seu comentário


0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Leia mais notícias sobre Opinião:
Maio de 2018
20.05.18 08h06 » Médico do Cafundó
20.05.18 08h05 » Irresponsabilidade arquivada
20.05.18 08h00 » Com que cara virá?
19.05.18 23h50 » Final feliz para a novela do FEX?
19.05.18 23h00 » De perguntas
19.05.18 08h16 » A propósito, respeite-nos
18.05.18 23h00 » A quem interessa o foro?
18.05.18 22h00 » Endurecer a lei contra o crime
18.05.18 15h16 » Maio roxo
18.05.18 09h53 » Luta Antimanicomial

1999-2018 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados