ENQUETES

Na sua opinião, Pedro Taques deve disputar a reeleição?

PUBLICIDADE

Judiciário / OPERAÇÃO LUXUS
19.06.2017 | 11h36
Tamanho do texto A- A+

Juíza determina nova prisão contra acusada de integrar quadrilha

A magistrada Selma Arruda atendeu pedido do Ministério Público Estadual (MPE)

MidiaNews

Clique para ampliar

A juíza Selma Arruda, que determinou nova prisão contra Lúbia Gorgete (no detalhe)

THAIZA ASSUNÇÃO
DA REDAÇÃO

A juíza Selma Arruda, da Vara Contra o Crime Organizado da Capital, determinou uma nova prisão preventiva contra a manicure Lúbia Camilla Pinheiro Gorgete, de 26 anos.

 

A decisão é do último dia 8. Lubia é acusada de integrar uma quadrilha de assalto a bancos em Mato Grosso.

 

A jovem teve o primeiro mandado de prisão preventiva cumprido no dia 4 de maio durante a operação “Luxus” da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO).

 

Além dela, outras 15 pessoas foram detidas, acusados de lucrar mais de R$ 5 milhões em roubos e furtos, praticados em pelo menos dez agências bancárias no Estado de Mato Grosso. Com o dinheiro proveniente dos roubos, os integrantes ostentavam com viagens, carros de luxo, passeio de helicóptero e barcos.

 

No dia 23 de maio, o juiz Carlos Roberto Barros de Campos, da Vara Criminal e Cível de Poconé (104 km ao Sul de Cuiabá) converteu a prisão preventiva da manicure em prisão docimicilar.

 

Na decisão, o magistrado atendeu um pedido da defesa de Lúbia que alegou que ela tinha duas filhas de 3 e 9 anos para cuidar.

 

O Ministério Púlbico do Estado, porém, pediu à Justiça que Lúbia fosse presa novamente.

 

Selma Arruda  aceitou os argumentos do MPE, que  afirmou que a manicure tinha importante atuação na quadrilha, "dando apoio material, logístico e moral" aos criminosos e abrigou em seu apartamento "os demais comparsas", antes e depois dos crimes cometidos.

 

Ao MidiaNews, o advogado Rafael Moreira, que defende Lúbia, disse que ela é inocente e que vai recorrer da nova prisão junto ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

 

A manicure já está detida no  Presídio Feminino Ana Maria do Couto, na Capital.

 

Operação Luxus

 

A operação foi deflagrada pela GCCO, da Polícia Civil, no dia 4 de maio, depois de mais de seis meses de investigações que culminaram na decretação de 22 mandados de prisão contra 17 membros da organização criminosa.

 

Alguns dos 17  alvos tiveram mais de um mandado de prisão decretados pela Justiça,  em três inquéritos, sendo o primeiro referente ao roubo ao Banco do Brasil, da Avenida Pernanbuco, bairro Morada da Serra II, em 13 de novembro de 2016; o segundo do furto qualificado ao banco do Brasil de Poconé, ocorrido no dia 5 de fevereiro de 2017, e o terceiro inquérito, pelo crime de organização criminosa.

 

Com o dinheiro proveniente dos roubos, os integrantes ostentavam com viagens, carros de luxo, passeio de helicóptero e barcos.

 

No roteiro das viagens está o Rio de Janeiro, local preferido dos integrantes da organização criminosa. Na cidade maravilhosa, os assaltantes contrataram passeios de helicópteros por pontos turísticos do Rio e  "torraram" dinheiro no Carnaval do Sambódromo da Marquês de Sapucaí.

 

Para entrar nos bancos, da Capital e do interior, os bandidos faziam o levantamento de pontos vulneráveis da agência, escolhiam dias  e horários com pouco movimento de pessoas nas ruas, como os finais de semana e feriados.

 

Eles promoviam a quebra da parede e o desligamento do alarme com uso de bloqueadores de sinal, impedindo que o sinal fosse acionado, desligavam câmeras e assim trabalhavam tranquilamente na abertura caixas eletrônicos e dos cofres instalados dentro das agências, de onde retiravam grandes somas de valores.

 

Estão presos Marcus Vinicius Fraga Soares, vulgo “Pato”, Gilberto Silva Brasil, conhecido como “Beto”, Cleyton Cesar Ferreira de Arruda, Thassiana Cristina de Oliveira (esposa de Cleyton), Junior Alves Vieira, Elvis Elismar de Arruda Figueiredo, Diego Silva dos Santos, Hian Vitor de Oliveira, Kaio da Silva Nunes Teixeira, Daynei Aparecido da Costa, Emanuel da Silva Souza (policial militar), Marcelo Alberto dos Santos, Augusto Cesar Ribeiro Macaúbas, vulgo “Gordão”, Jurandir Benedito da Silva, conhecido como “Jura”, Julyender Batista Borges, conhecido como “Juju” e Robson Antônio da Silva Passos, vulgo “Robsinho”.

 

Leia mais:

 

Acusada de integrar quadrilha é solta para cuidar dos dois filhos

 

GCCO prende 16º integrante do bando acusado de roubar bancos

 

 Quadrilha ostentava com carros e passeios de helicóptero no RJ

 

Polícia Civil deflagra operação para prender 17 ladrões de bancos

 




Clique aqui e faça seu comentário


1 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Cuiabano   19.06.17 14h06
Cuiabano , seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados