ENQUETES

Com mais esse escândalo, você acha que Temer deve renunciar?

PUBLICIDADE

Judiciário / CÂMARA
17.03.2017 | 15h20
Tamanho do texto A- A+

João Emanuel diz que Maksuês tenta incriminá-lo por “inveja”

Ex-vereador diz que ex-deputado mentiu para se defender

Marcus Mesquita imagens

Clique para ampliar

O ex-vereador João Emanuel, que negou ter cometido crimes

LUCAS RODRIGUES E ANA FLÁVIA CORRÊA
DA REDAÇÃO

O ex-vereador João Emanuel negou ter participado do suposto esquema investigado na Operação Aprendiz, que apura desvio de dinheiro e fraude em licitações na Câmara de Cuiabá, na época em que o político presidia a Casa.

 

João Emanuel foi interrogado na tarde desta sexta-feira (17), pela juíza Selma Arruda, da Vara Contra o Crime Organizado da Capital. Em sua oitiva, ele ainda acusou o ex-deputado Maksuês Leite - que deu detalhes do esquema à Justiça - de tê-lo incriminado por "inveja".

 

A ação penal em questão apura o desvio de mais de R$ 1,6 milhão dos cofres da Câmara Municipal de Cuiabá em conluio com a gráfica Propel Comércio de Materiais para Escritório Ltda, que pertencia ao ex-deputado.

 

Em 2014 o Maksuês foi candidato a deputado estadual e teve 6 mil votos. E eu tive esses mesmos votos sendo vereador. E eu falei isso para ele, de brincadeira, mas acho que ele ficou incomodado

Além de João Emanuel e Maksuês, são réus: o ex-secretário-geral do Legislativo municipal, Aparecido Alves; o ex-chefe do almoxarifado, Renan Moreno Lins Figueiredo; e Gleisy Ferreira de Souza, ligado à gráfica.

 

"Inveja política"

 

No depoimento anterior dado pro Maksuês, o ex-deputado disse que não era o real dono da Propel e que a empresa simulava a entrega de materias gráficos para a Câmara, para justificar os pagamentos. Dos valores pagos, 75% ficava para João Emanuel e 25% para ele.

 

Porém, João Emanuel negou ter feito as negociatas e que, ao contrário do que afirmou o deputado, nunca conversou com ele sobre propina na frente de uma clínica da Capital.

 

Segundo o ex-vereador, as declarações de Maksuês foram motivadas por "inveja política".

 

“Em 2014 o Maksuês foi candidato a deputado estadual e teve 6 mil votos. E eu tive esses mesmos votos sendo vereador. E eu falei isso para ele, de brincadeira, mas acho que ele ficou incomodado".

“Eu nem vou falar em inveja porque eu não gosto dessa palavra, é uma palavra muito esquisita e feia, mas eu acho que ele ficou com um 'senão' de mim”.

 

Movimentação financeira

 

Quanto às movimentações financeiras em suas contas, consideradas suspeitas pelo Ministério Público, o ex-vereador alegou que possuem origem lícita.

 

Segundo ele, os valores possuem origem em um empréstimo de R$ 140 mil que ele pegou de Julio César Americano, soldado da Polícia Militar já falecido.

 

Com o dinheiro, João Emanuel disse que comprou um Porsche, financiando em um banco o valor restante.

 

"O valor também serviu para pagar uma viagem de R$ 25 mil. Os outros R$ 10 mil serviram para reformar a minha casa. Em nenhum momento eu tive interesse em lavar e ocultar o dinheiro, tanto é que tudo isso foi feito em meu nome”.

 

À juíza, ele disse que ainda não pagou o total do empréstimo, mas apenas R$ 50 mil.

 

João Emanuel também negou ter conhecimento de que os cheques passados por Julio César a ele eram da Propel.

“Eu fiquei sabendo depois, mas eu fiz tudo com lastro do meu imposto de renda, às claras, sem esconder. Depois de tanto tempo na cadeia a gente tem que aprender a falar só a verdade”.

 

Ainda na oitiva, o político disse que conhece uma testemunha que também pegou valores emprestados do mesmo agiota e que o montante "veio através de um cheque da Propel também".

 

Leia mais:

 

Maksuês confirma esquema e diz que vai devolver R$ 560 mil




Clique aqui e faça seu comentário


0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados