ENQUETES

Com mais esse escândalo, você acha que Temer deve renunciar?

PUBLICIDADE

Judiciário / CASO CARAMURU
17.05.2017 | 09h53
Tamanho do texto A- A+

Advogado acusa funcionário de empresa de tentar enganar a Justiça

Fernando Nogueira diz que Walter Júnior tentou usar seu nome para se redimir de crimes imputados

MidiaNews

Clique para ampliar

O advogado Fernando Henrique Nogueira, que apontou ter tido nome usado indevidamente

LUCAS RODRIGUES
DA REDAÇÃO

O advogado Fernando Henrique Ferreira Nogueira, em nota enviada à redação, alegou que um dos alvos da Operação Zaqueus, Walter de Souza Júnior, usou seu nome indevidamente para tentar se livrar dos crimes dos quais é acusado.

 

Walter Júnior é funcionário da empresa Caramuru Alimentos S/A e teria atuado no esquema que consistiu, em tese, no pagamento de propina de R$ 1,8 milhão a três agentes de tributos para diminuir uma dívida tributária da empresa de R$ 65 milhões para R$ 315 mil.

 

Em depoimento, Walter confirmou o esquema e confessou que ele próprio se beneficiou da propina. Ele também afirmou que Fernando Nogueira teria o orientado a colocar a culpa dos crimes no ex-secretário de Estado Pedro Nadaf, que já é alvo de ações penais por esquemas na gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB).

Jamais expressei, direta ou indiretamente, qualquer tipo de orientação jurídica no sentido de imputar a terceiros inocentes a prática de crime, contravenção penal ou conduta fictícia

 

“No claro intuito de livrar-se de inúmeros crimes a ele imputados (ou confessados) e deixar de ser preso preventivamente, optou criminosamente (neste ponto) em induzir a erro a investigação e os respectivos magistrados preventos, uma vez que jamais expressei, direta ou indiretamente, qualquer tipo de orientação jurídica no sentido de imputar a terceiros inocentes a prática de crime, contravenção penal ou conduta fictícia, haja vista que sempre pautei minha advocacia pela ética, verdade, zelo e busca pela Justiça”, disse o advogado.

 

Fernando Nogueira ressaltou que o próprio delator da operação, o advogado Themystocles Figueiredo, deixou claro que foi outro advogado quem teria feito a orientação jurídica de Walter Júnior.

 

“Nesse sentido, quero expressar minha indignação como profissional e cidadão, sem prejuízo de tomar todas as medidas jurídicas (criminais e cíveis) aplicáveis ao caso”, adiantou.

 

Entenda o caso

 

A operação Zaqueus foi deflagrada no início do mês pela Delegacia Fazendária (Defaz). 

 

De acordo com as investigações da Defaz, os agentes de tributos André Fantoni, Alfredo Menezes e Farley Moutinho receberam propina de R$ 1,8 milhão para reduzir a aplicação de uma multa à empresa Caramuru Alimentos S/A de R$ 65,9 milhões para R$ 315,9 mil.

 

O esquema chegou ao conhecimento dos investigadores após o advogado Themystocles Figueiredo, “contratado” para lavar o dinheiro da propina, procurar as autoridades competentes para negociar uma delação premiada.

 

Na Defaz, o advogado afirmou ter tido medo de ver seu nome envolvido numa investigação após conhecer, por meio da imprensa, outra denúncia envolvendo a Caramuru Alimentos S/A.

 

A delação de Themystocles acabou confirmada, posteriormente, pelos depoimentos de Walter de Souza Júnior e Alberto Borges de Souza, respectivamente, representante titular e presidente da Caramuru Alimentos S/A.

 

Leia mais sobre o assunto:

 

Desembargador nega soltar suposto líder de esquema da Caramuru

 

Secretário pede afastamento imediato de agentes tributários

 

Desembargador manda soltar agente de tributos alvo da Defaz

 

Juíza cita suposta ameaça contra delator e empregado da Caramuru

 

Advogado confessa que simulou contrato para lavar dinheiro

 

Defaz prende três agentes de tributos por beneficiar empresa Caramuru

Com medo, advogado procurou MPE e admitiu esquema, diz delegado

Caramuru teria admitido à Defaz que pagou propina de R$ 1,8 milhão

Agente da Sefaz recebeu R$ 1,2 milhão de propina da Caramuru




Clique aqui e faça seu comentário


0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados