Cuiabá, Quarta-Feira, 19 de Dezembro de 2018
JOGO DO BICHO
25.08.2018 | 15h00 Tamanho do texto A- A+

Juiz intima homem envolvido em polêmica com genro de Arcanjo

Denúncia consta que Alberto Toniasso foi agredido por genro de Arcanjo; acusado nega

MidiaNews

Juiz Geraldo Fidelis conduz a ação penal

CÍNTIA BORGES
DA REDAÇÃO

O juiz Geraldo Fidelis, da Vara de Execuções Penais, marcou audiência para que Alberto Jorge Toniasso se explique sobre uma suposta agressão que teria sofrido por parte do genro do ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro, Giovani Zen. A informação da suposta agressão chegou ao Judiciário por meio de uma denúncia anônima.

 

A audiência ficou marcada para o dia 13 de setembro às 14h45, no Fórum da Capital.

 

João Arcanjo ficou preso entre os anos de 2003 e 2018, acusado de diversos crimes, entre eles o assassinato de Brandão. Ele deixou a Penitenciária Central do Estado (PCE) em Cuiabá no dia 16 de fevereiro deste ano.

 

O magistrado requer explicações sobre o encontro que resultou em uma suposta agressão de Giovani Zen contra Toniasso, no escritório de Arcanjo, na Avenida Historiador Rubens de Mendonça (do CPA), no fim de 2017.

 

Na última semana, ele recebeu a intimação do oficial de justiça e deve comparecer à audiência. Conforme consta na ação, Arcanjo também deve comparecer.

 

O encontro foi denunciado ao magistrado no início deste ano, tentando relacionar o Arcanjo ao jogo do bicho. A denúncia ressalta que Arcanjo deu a seu genro, Giovani Zen, o poder de comandar o jogo do bicho em Cuiabá.

 

No encontro, Giovani Zen teria dado uma máquina de apostas de jogo do bicho para Alberto Jorge Toniasso. Depois de uma confusão, Alberto teria sido agredido pelo genro do ex-bicheiro.

 

Genro rebate

 

Em audiência de justificação marcada pelo mesmo juiz em agosto, o genro de Arcanjo expôs sua versão sobre encontro entre ele e Alberto Toniasso. No entanto, diz, era Alberto quem tentava coagi-lo.

 

“Uma pessoa me procurou para marcar um encontro com esse Alberto. Eu o recebi na minha sala, em um local onde trabalham 30 pessoas. Ele perguntou se eu tinha interesse em jogo do bicho e respondi que ele estava enganado, porque a gente não trabalha com isso”, disse.

 

Arcanjo enfatizou que não se lembra de nenhum Alberto. “Se eu conheço é de muito tempo atrás”, afirmou.

 

Leia mais sobre o assunto:

 

“Fiquei preso por 15 anos; não quero perder minha liberdade”

 

Arcanjo pede imagens do Fórum para saber quem o denunciou

 

 




Clique aqui e faça seu comentário


COMENTÁRIOS
1 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Graci Ourives de Miranda  26.08.18 04h07
O Juiz Geraldo Fidélis, é um profissional que sentimos orgulho.
5
0