ENQUETES

Qual sua expectativa sobre a seleção brasileira nesta Copa?

PUBLICIDADE

Fogo Amigo
12.11.2017 | 08h00
Tamanho do texto A- A+

Suposta falha

Bosaipo tenta culpar Paulo Taques em ação

DA REDAÇÃO
humberto bosaipo 2017

Tese de Bosaipo sobre falha na defesa foi rejeitada pela juíza Selma Arruda

O ex-deputado Humberto Bosaipo, condenado a 18 anos e quatro meses de prisão, tentou culpar o advogado Paulo Taques, que fazia sua defesa, por supostas falhas ocorridas na ação, na tentativa de anular o processo.

 

Segundo ele, Paulo Taques teria se juntado ao governador Pedro Taques (PSDB), seu primo, para prejudicá-lo na ação, motivo pelo qual o advogado, propositalmente, não teria abordado o mérito das acusações do processo, nem arrolado testemunhas idôneas.

 

Para a juíza Selma Arruda, contudo, o ex-deputado não comprovou as alegações.

“Primeiramente, consigno que Humberto Melo Bosaipo tinha conhecimento de que o advogado Paulo César Zamar Taques era primo do, à época, procurador da República José Pedro Gonçalves Taques, hoje governador do Estado, e, mesmo assim, contratou-o para proceder a sua defesa. Ora, se assim o procedeu, o fez por confiar no referido profissional, outorgando a ele poderes para proceder-lhe a defesa, o que foi feito plenamente, eis que apresentou defesa prévia, na qual deduziu todas as arguições que entendia pertinentes ao caso”, disse Selma.

“Pensar da forma como posta pela defesa nas alegações finais, seria acreditar que o réu, pessoa instruída, advogado devidamente registrado na Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional de Mato Grosso (OAB/MT nº. 2655), foi obrigado a aceitar que o referido causídico procedesse a defesa à sua revelia. Ademais, o advogado Paulo César Zamar Taques não foi o único advogado a patrocinar a defesa do réu na Instância Superior. O réu também foi assistido pelo causídico Nabor A. Bulhões, OAB/DF 1.465-A, o qual, inclusive, apresentou resposta à acusação, na qual alegou as preliminares que entendeu cabíveis ao caso, bem como arrolou as testemunhas que entendia pertinentes para o objeto da prova”, completou a magistrada, na decisão. 




Leia mais notícias sobre Fogo Amigo:
Junho de 2018
21.06.18 11h43 » “Fake News”
21.06.18 10h20 » Sétima Vara
21.06.18 09h42 » Reconhecimento
20.06.18 21h02 » Delação
20.06.18 17h45 » Futuro político
20.06.18 15h40 » Homenagem
20.06.18 14h50 » Eleições
20.06.18 14h29 » Largou a toga
20.06.18 09h16 » Pontos de ônibus
20.06.18 09h00 » Ameaça no Whats

1999-2018 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados