ENQUETES

Após a operação da PF, você vai parar de comer carne da Sadia, Perdigão, Friboi e Seara?

PUBLICIDADE

Eleições 2016 / ATAQUES
31.10.2016 | 10h44
Tamanho do texto A- A+

“Houve um exagero na dose; fui tremendamente caluniado”

Emanuel diz que não foi notificado de investigação do MPE, mas pede apuração de denúncias

Ednilson Aguiar/MidiaNews

Clique para ampliar

O prefeito eleito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro: “Isso é uma denúncia de processo eleitoral"

DOUGLAS TRIELLI E AIRTON MARQUES
DA REDAÇÃO

O prefeito eleito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), defendeu que as acusações feitas pelo candidato derrotado Wilson Santos (PSDB) sejam apuradas pelo Ministério Público. Entretanto, o peemedebista se disse “caluniado” e “injustiçado”.

 

Na última semana de campanha, o tucano acusou Emanuel de ser o “cabeça” de um esquema de concessão de incentivos fiscais para beneficiar a empresa Caramuru Alimentos. Ele acusa o prefeito eleito de ter recebido R$ 4 milhões em propina, por meio de parentes.

 

“Foi no calor do processo eleitoral. Toda e qualquer denúncia tem que ser esclarecida, mas acho que houve um exagero na dose. Fui tremendamente injustiçado, caluniado, difamado”, afirmou.

 

Isso é uma denúncia de processo eleitoral. Tudo que é denunciado tem que ser investigado. Eu estou tranquilo, não tenho nada a temer

“Isso é uma denúncia de processo eleitoral, vindo a uma semana das eleições e em virtude da nossa liderança nas pesquisas eleitorais. Que se investigue. Tudo que é denunciado tem que ser investigado. Eu estou tranquilo, não tenho nada a temer”, disse.

 

Emanuel ainda negou que tenha sido notificado pelo Ministério Público Estadual (MPE) a prestar esclarecimentos sobre uma investigação que corre no órgão.

 

Conforme o MidiaNews revelou na semana passada, o procedimento investigatório, que está sob sigilo, é de responsabilidade do promotor de Justiça Antônio Sérgio Cordeiro Piedade, coordenador do Naco (Núcleo de Ações de Competência Originária).

 

O núcleo investiga, na esfera penal, agentes políticos com foro especial por prerrogativa de função junto ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso - caso de deputados estaduais, prefeitos, juízes de Direito e secretários de Estado.

 

“Nunca fui notificado e quero lembrar que a Assembleia tem 24 deputados estaduais. Lá, vários são investigados pelo Ministério Público, vários têm ações por improbidade administrativa, vários com os bens bloqueados, o que não é meu caso”, afirmou Emanuel.

 

“Então, tem muita coisa aí para ser investigada e é bom que se investigue, até porque investigação é do processo democrático. A investigação pode ser o endosso de idoneidade. Não tem nenhum problema, que se investigue. Cuiabá é o foco agora”, completou.

 

Leia também:

 

Emanuel: “Não vamos frustrar, não vamos decepcionar o povo”

 

Com 60,41% dos votos, Emanuel é eleito prefeito de Cuiabá

 

MPE confirma que investiga Caramuru por denúncia de fraudes




Clique aqui e faça seu comentário


1 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

daniel  01.11.16 09h32
EP só uma pergunta, no ano que vem você dará aumento salarial para os funcionários municipais? Eu vou querer, e ainda quero que o Sr. termine o VLT, ta bom, só quero isso.
5
5

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados