ENQUETES

Na sua opinião, Pedro Taques deve disputar a reeleição?

PUBLICIDADE

Economia / RELAÇÕES ECONÔMICAS
06.01.2017 | 05h30
Tamanho do texto A- A+

Acordos comerciais entre Brasil e Argentina beneficiam empresas

Em cinco anos de atuação, o escritório do IRB Brasil RE em Buenos Aires já conta com 70 seguradoras em carteira e concentra as operações da América Latina

da EXAME

A rivalidade entre Brasil e Argentina no futebol passa longe do mundo dos negócios. O bom relacionamento com o país vizinho tem sido essencial para o Brasil, especialmente do ponto de vista das exportações. Entre janeiro e outubro de 2016, o intercâmbio comercial entre os dois países movimentou mais de 18 bilhões de dólares, cerca de 61 bilhões de reais, segundo dados do Itamaraty. A Argentina é hoje o terceiro maior mercado para os produtos brasileiros de exportação. Só perde para os gigantes China e Estados Unidos.

Os acordos comerciais entre os dois maiores países da América do Sul vêm de longa data. A proximidade foi um dos pilares para a formação, em 1991, do Mercosul, bloco econômico que reúne os países da região e responsável por regular suas principais relações comerciais.

Além do Mercosul, Brasil e Argentina contam com diversos acordos bilaterais, pensados para facilitar os negócios. Em agosto de 2016, foi firmada uma Declaração Conjunta que simplifica a tramitação de documentos entre os dois países. Está também em estudo a criação de uma agência binacional de normas técnicas, com o objetivo de facilitar o trânsito de mercadorias no Mercosul.

Para as empresas que atuam nos dois países, essas ações têm sido fundamentais. “O comércio internacional e a integração regional estimulam a produção interna e os negócios”, afirma Francisco Cassano, professor de relações e negócios internacionais da Universidade Presbiteriana Mackenzie. “Há um dinamismo na atividade econômica gerado pelo fato de as empresas estarem participando do comércio internacional em um bloco de integração.”

Comemorando cinco anos de atuação na Argentina, o IRB Brasil RE é um bom exemplo de empresa que aproveita a proximidade comercial entre os dois países. Inaugurado em setembro de 2011, o escritório do IRB Brasil RE em Buenos Aires conta com mais de 70 seguradoras em carteira e atende ainda os mercados do Uruguai, Paraguai, Bolívia e Chile. Suas principais linhas de negócio estão nos ramos de incêndio, vida, garantia e agrícola, e, juntas, respondem por 80% dos prêmios de seguros emitidos na região.

Com quase 80 anos de história e sede no Rio de Janeiro, o IRB Brasil RE atua em mais de 40 países. A empresa encerrou 2015 com um market share de 34% do mercado brasileiro total de resseguros, segundo a Superintendência de Seguros Privados (Susep).

O resseguro pode ser definido como o seguro do seguro. Trata-se de uma forma de proteger as seguradoras para que possam arcar com as indenizações dos seguros, que, em 2015, totalizaram, no Brasil, 93 bilhões de reais, com crescimento de 6% em relação a 2014.

“O IRB trabalha em Buenos Aires com o propósito de promover o fortalecimento da economia local e de todo o Mercosul”, afirma Tarcísio Godoy, presidente da empresa. “Brasil e Argentina são as maiores economias da região e essa união é fundamental. Hoje, vivemos um novo período de mudanças e faço questão de reafirmar o compromisso com nossos vizinhos.”

Ter uma base própria na Argentina traz diversas vantagens em relação aos demais resseguradores, pois fortalece a gestão de negócios e as relações pessoais com corretores e companhias de seguros, sem a interferência do idioma. Outras vantagens são a capacidade de dar respostas rápidas aos clientes e a atuação mais próxima com as principais seguradoras locais e internacionais.

 

Fonte      http://exame.abril.com.br/economia/acordos-comerciais-entre-brasil-e-argentina-beneficiam-empresas/




Clique aqui e faça seu comentário


0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados