ENQUETES

A que você atribui a renovação da Assembleia e da Câmara neste ano em MT?

PUBLICIDADE

Cotidiano / OPERAÇÃO ESTANQUE
14.06.2018 | 07h54
Tamanho do texto A- A+

Sema e Ibama iniciam ação conjunta de combate ao desmatamento no norte de MT

A área degradada pelos infratores nos municípios de Tapurah e Porto dos Gaúchos corresponde a 500 hectares

Reprodução

Clique para ampliar

Na primeira ação, agentes ambientais flagraram o corte raso de 160 hectares em área de Reserva Legal em Tapurah

DA REDAÇÃO

O Ibama e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) de Mato Grosso, com apoio do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer-MT) e da Força Nacional, iniciaram nesta terça-feira (12/06) uma operação conjunta para coibir o desmatamento ilegal da Amazônia.

 

Na primeira ação, agentes ambientais flagraram o corte raso de 160 hectares em área de Reserva Legal em Tapurah (MT) por correntão, técnica que usa dois tratores e uma corrente com elos grossos para derrubar a vegetação nativa.

Na base utilizada pelos infratores, foram apreendidos uma pá carregadeira, um caminhão, uma moto, uma camionete, motosserras e documentos que evidenciam a saída da madeira, além de fichas de funcionários e comprovantes de transações bancárias. A Sema estima que a ação evitou o desmatamento de outros 800 hectares.

 

A Operação Estanque também resultou na apreensão de 267 metros cúbicos de madeira em tora das essências sucupira, cambará, cumaru e cedrão, volume equivalente a 12 caminhões carregados.

 

A área degradada pelos infratores nos municípios de Tapurah e Porto dos Gaúchos corresponde a 500 hectares. O desmatamento foi identificado por imagens de satélite.

 

Durante a ação, um caminhão sem Guia Florestal válida foi identificado. Após denúncia do Ibama, equipe da Sema-MT se deslocou até uma serraria para inspeção de carga, cuja documentação relatava o transporte de garapeira, champanhe, jatobá, cajueiro e cambará. No entanto, todas as toras eram da espécie cambará, madeira de alta resistência usada na construção civil e para fabricação de móveis.

Responsável pela origem da madeira, uma fazenda localizada no município de Tapurah foi embargada e autuada em R$ 212 mil pelo transporte sem guia florestal válida, inserção de informações falsas no sistema de controle florestal do estado (Sisflora 2.0) e Plano de Manejo Florestal Sustentável em desacordo com a legislação ambiental. Já a serraria foi multada em R$ 62 mil pelo recebimento da carga. As 40 toras de cambará, com volume total de 40 metros cúbicos, também foram apreendidas.

“Essa parceria com o Ibama em Mato Grosso não ocorria há cinco anos. Queremos estancar o desmatamento no estado. É um aviso aos desmatadores. Mato Grosso não compactua com a ilegalidade”, disse o secretário de Meio Ambiente, André Baby. Nesta terça-feira (12/06), ele reuniu-se com a presidente do Ibama, Suely Araújo, na sede do Instituto, em Brasília, para consolidar a ação conjunta.

Para a superintendente do Ibama em Mato Grosso, Lívia Martins, o controle do desmatamento depende da conscientização dos consumidores, além das ações de fiscalização ambiental. “Os produtos procedentes de áreas embargadas e de Reserva Legal (gado e grãos) continuam a entrar na cadeia comercial. Enquanto existir cadeia produtiva que consuma produtos ilegais, haverá pressão para desmatamento”, afirmou a superintendente.

A presidente do Ibama destacou a importância da atuação conjunta com o Governo do Estado para a eficácia do controle ambiental.




Clique aqui e faça seu comentário


2 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

TEDA  14.06.18 10h51
SERA QUE PODE RETIRAR AREIA DO RIO CUIBA ALI PERTO DA PONTE SERGIO MOTTA, POIS TEM DRAGA O DIA TODO ALI TRABALHANDO, PENSEI QUE ERA PROIBIDO, ESTE RECADO É PRA SEMA E PRA O IBAMA
6
0
Talisia  14.06.18 08h43
A REALIDADE É TRISTE, A FLORESTA DO ESTADO DE MATO-GROSSO VEM SOFRENDO BASTANTE COM O DESMATAMENTO ILEGAL A MUITO TEMPO. A BUSCA INCESSANTE PELO LUCRO E O COMODISMO DAS NOSSAS AUTORIDADES SÃO AS PRINCIPAIS CAUSAS DESTE TRÁGICO PROBLEMA, E AINDA MAIS ABRIRAM AS PORTA DO ESTADO(SEM FISCALIZAÇÃO) PARA O TRANSPORTE DE MADEIRAS ILEGAIS COMO A CASTANHEIRA (PROIBIDA DE CORTE) E TANTAS OUTRAS DESDE 2013.
4
1
1999-2018 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados

Ver em: Celular - Web