ENQUETES

Nessas eleições, você pretende:

PUBLICIDADE

Cotidiano / CONCESSÃO DE BR
15.05.2018 | 17h04
Tamanho do texto A- A+

Rota do Oeste rebate secretário e diz que mortes caíram na 163

Em entrevista ao MidiaNews, Marcelo Duarte (Sinfra) defendeu a rescisão de contrato com a empresa

Reprodução

Clique para ampliar

Um dos nove pedágios da Rota do Oeste na BR-163, em Mato Grosso

CÍNTIA BORGES
DA REDAÇÃO

A concessionária Rota do Oeste contestou a declaração do secretário de Estado de Infraestrutura do Estado, Marcelo Duarte, sobre as críticas feitas em entrevista ao MidiaNews sobre os trabalhos da empresa na via.

 

De acordo com o secretário, a Rota do Oeste, braço da Odebrecht Rodovias, não vem trabalhando para a redução dos índices de acidentes do Estado. Ele classificou o local como “corredor da morte” e disse que a situação é vergonhosa.

 

A concessionária, por meio de nota, afirmou que o número de mortes da BR-163 sob concessão reduziu 41% após a chegada da Rota do Oeste em Mato Grosso, em 2014. 

 

“Os registros caíram de 146 casos, em 2013, para 86 no último ano. Além disso, em 2017 a rodovia contou com a menor quantidade de óbitos dos últimos 11 anos”, consta em trecho da nota.

 

Alair Ribeiro/MidiaNews

Marcelo Duarte

Secretário Marcelo Duarte defende rescisão contratual com a concessionária

A concessionária ainda esclarece as acusações de não ter realizado integralmente o projeto de duplicação da rodovia. Conforme o contrato, a concessionária deve duplicação 453 quilômetros da BR-163.

 

No entanto, desde 2014, quando a concessionária ganhou a licitação, menos da metade da via foi duplicada. A duplicação, conforme o secretário, reduziria o número de acidentes e traria mais segurança a quem circula na BR-163.

 

Ele ainda disse, que mesmo prestar a totalidade dos serviços, foram instaladas nove praças de pedágio, em intervalos médios de 100 quilômetros.

 

“A Rota do Oeste duplicou 117,6 quilômetros e recuperou mais de 800 quilômetros de rodovia e continua atuando na manutenção de todo o trecho sob a sua responsabilidade, entre diversas outras obras de melhorias, como passarela em Sorriso, viadutos, retornos, acessos e reforço na sinalização da via com investimento já realizado nesse período de R$ 1,7 bilhão”, diz nota da concessionária.

 

Confira nota na íntegra

 

Os trabalhos realizados pelas equipes da Concessionária, em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), apresentam melhora significativa e, mais importante, constante na segurança da rodovia. 

 

Para alcançar esta melhoria, a Rota do Oeste se dedica diariamente aos serviços de socorro médico, inspeção da rodovia e guinchos leve e pesado. Mais de 400 mil atendimentos já foram realizados desde o início da concessão. O serviço é custeado em sua totalidade pelo valor arrecadado no pedágio.

 

O número de mortes no trecho sob concessão da BR-163 reduziu 41% após a chegada da Rota do Oeste em Mato Grosso, em 2014. Os registros caíram de 146 casos, em 2013, para 86 no último ano. Além disso, em 2017 a rodovia contou com a menor quantidade de óbitos dos últimos 11 anos.

 

A Rota do Oeste destaca que atende as obrigações determinadas em contrato com ANTT. Desde que assumiu o trecho sob concessão da BR-163, a Rota do Oeste duplicou 117,6 quilômetros e recuperou mais de 800 quilômetros de rodovia e continua atuando na manutenção de todo o trecho sob a sua responsabilidade, entre diversas outras obras de melhorias, como passarela em Sorriso, viadutos, retornos, acessos e reforço na sinalização da via com investimento já realizado nesse período de R$ 1,7 bilhão.

 

A Concessionária dispõe de 73 veículos para atendimento, sendo 18 ambulâncias para atendimento médico, cinco delas com UTI móvel; 18 guinchos leves;  oito guinchos pesados; 19 veículos de inspeção de tráfego; cinco caminhões pipa para combate a incêndios; cinco caminhões para captura de animais. São mais de 500 integrantes trabalhando ao longo da rodovia nos atendimentos diários.

 

Socialmente, as atividades da Rota do Oeste geram riquezas para a economia regional, gerando cerca de 3 mil empregos permanentes. O número chega a 6 mil postos de trabalho no pico das obras. Os serviços e a arrecadação de pedágio também já garantiram aos municípios impactados pelas rodovias BR-163 e BR-364 um total de R$ 79 milhões em Imposto Sobre Serviços (ISS), verba repassada mensalmente e que pode ser utilizada para melhoria nos serviços básicos, como educação, saúde e segurança pública.

 

Leia mais sobre o assunto:

 

Secretário diz que rodovia envergonha e pede nova licitação da 163

 

 

 




Clique aqui e faça seu comentário


7 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Muniz  16.05.18 12h56
SERÁ QUE ESTE SECRETÁRIO TEM ANDADO DE CARRO POR MATO GROSSO? VISITE MATO GROSSO DO SUL PELA BR E TENTE COMPARAR SE FOR POSSÍVEL, TEMOS QUE ADMITIR, FALTA A CONCLUSÃO, MAS NÃO HÁ COMO COMPARAR COM O PASSADO...UTILIZO ESTA BR PARA A REGIÃO SUL E VEJO AS MODIFICAÇÕES POSITIVAS.
1
1
Felipe  16.05.18 08h36
Não vou defender que precisa melhorar porem está muito melhor de Cuiabá até Rondonópolis. Basta passar para o Estado Vizinho MS que pagamos da Divisa até Campo Grande por estradas que não são totalmente duplicatas e cheias de remendos e bem mais caras que aqui no Mato Grosso.
5
2
dauzanades  16.05.18 08h32
Deve estar interessado na concessão ou defendendo os interesses de algum político interessado. Se estivesse nas mão do estado era só buracos e uma cruz a cada 10 quilômetros.
10
1
Xavier   15.05.18 21h53
Vamos concluir as obras de duplicação, afinal O povo ta pagando caro por um serviço pela metade. O local desse acidente é de altíssimo risco.
8
0
Acabral  15.05.18 21h46
Sou a favor da concessionaria, pois você viaja com mais tranquilidade, de cuiaba até jaciara tá ótimo.. Melhor quando estava na mão do governo.
4
5
1999-2018 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados