ENQUETES

Como você avalia o atendimento do Detran-MT?

PUBLICIDADE

Cotidiano / JARDIM DAS AMÉRICAS
12.11.2017 | 10h55
Tamanho do texto A- A+

Morador cita insegurança e quer portões com guarita em ruas

MPE entrou com ação para retirada das estruturas em vias de bairro em Cuiabá

Alair Ribeiro/MídiaNews

Clique para ampliar

A guarita e o portão da Rua Washington, no Jardim das Américas

CINTIA BORGES
DA REDAÇÃO

“Não impedimos a circulação de pessoas”, afirmou o advogado Carmindo Francisco Ferreira, morador de uma das ruas do Bairro Jardim das Américas, em Cuiabá. 

 

A rua em que ele mora - e outras quatro da região - tem portões e guartita na entrada. Na semana passada, o Ministério Público Estadual ingressou com uma ação civil requerendo que a Justiça determine a desobstrução das ruas, já que se tratam de vias públicas.

 

O advogado explica que as estruturas foram montadas há quase 20 anos, em uma época que os moradores, cansados dos assaltos às residências, tomaram a atitude emergencial.

 

“Há cerca de 20 anos temos essa situação aqui. Há 20 anos vivíamos uma situação de muita insegurança. Nós nos cercamos e isso diminui brutalmente as ocorrências”, esclarece. 

 

A reportagem visitou as vias no Bairro Jardim das Américas e conferiu a situação. O advogado afirma que a medida é apenas para trazer a sensação de segurança aos moradores, e de nada impede a circulação de pessoas.

 

“O Estado é ineficiente. Por mais que ele se esforce, a violência é tamanha que ele não consegue conter. No entanto nós sabemos que não podemos impedir o ir e vir das pessoas, como não os impedimos”. 

 

O Estado é ineficiente, por mais que ele se esforce, a violência é tamanha que ele não consegue conter

De acordo com a ação do MPE, em cinco das oito ruas paralelas do bairro foram instalados portões e guaritas pelos próprios moradores e colocada segurança para “obstaculizar o acesso irrestrito de pessoas e automóveis às ruas Mar Del Plata, Kingston, Washington, Montreal e Otawa”.

 

As ruas ficam com os portões abertos das 6h às 22h. A partir desse horário, eles são fechados e um porteiro fica responsável por controlar a entrada de moradores e visitantes.

 

“As pessoas que cuidam da rua prestam informação aos policiais que estão passando. E com isso conseguimos dormir um pouco mais tranquilos”, conta. 

 

Outras ações

 

O morador conta que já houve outros processos referentes a instalação de portões e guaritas nas vias.

 

Um deles ocorreu há aproximadamente cinco anos, quando a Prefeitura de Cuiabá também tentou fazer a retirada das obstruções.

 

“Nós voltamos novamente à Prefeitura, conversamos com gestores e eles compreenderam. Fizemos um acordo tácito [informal], que nós permaneceríamos com as guaritas e os portões, mas não impediríamos a passagem de ninguém”, explicou Ferreira.

 

Caso a Justiça acate o pedido da 17ª Promotoria de Justiça de Defesa Ambiental, da Ordem Urbanística e do Patrimônio Cultural de Cuiabá, o morador afirma que irão acatar. 

 

“Se pedirem, nós tiraremos. Mas seria injusto tirar os nossos, e ser permissivo com [os condomínios] Alphaville, Florais e Belvedere. Porque é a mesma situação. Porque é a mesma situação de impedimento de passagem das pessoas. E com uma atenuante nossa – nós não impedimos passagem de ninguém”, critica o morador.

 

“O Ministério Público sempre se pautou no padrão de ordem, e nós acreditamos nisso. Nós estamos confiantes que o bom senso prevaleça, já que as ruas não dão acesso a lugar nenhum, e eles nos deixem quietos”.  

 

GALERIA DE FOTOS




Clique aqui e faça seu comentário


15 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Xomano  14.11.17 09h21
Tá fácil morar em condomínio fechado, o Estado(população)paga pela Infra, desde o esgoto, drenagem de chuvas, asfalto, postes pela empresa de energia, A energia dos postes são pagas por vcs moradores dessas rua? . Simples faz um TAC, o bairro existe a 30 anos? calculem quanto foi gasto nisso tudo corrigido tá?(pago com dindin público). Ai se der R$ 1 Milhão, rateiem entre os moradores. da rua e pronto resolvido. quero ver se vai ter mais ideia brilhante como essa de fechar uma rua paga com dinheiro publico.Se todo bairro for fechado por falta de segurança estamos feitos.Fui assaltado 2 vezes em casa de Rua no Jd. Cuiabá. Solução mudei para um apertamento.
1
1
Ligia  13.11.17 17h27
Eu concordo com esses moradores. O poder público não nos dá segurança e a bandidagem está à solta. Trabalhamos duro para conseguir nossos bens para os malas roubarem tudo, até nossa paz. O MPE deveria estar cobrando o Estado o cumprimento da segurança, do número de policiais nas ruas, do andamento das investigações. Não acho justo os comentários que dizem que devem se mudar para condomínios... nós não temos que sair do nosso convívio e sim buscar meios para melhorar nossa qualidade de vida.
8
7
Cristiane Mathias Folha Andrade   13.11.17 09h05
SE TIVESSE UMA SEGURANÇA PÚBLICA QUE FUNCIONASSE NÃO PRECISARIA DE GUARITAS NAS RUAS. ESTADO ESTÁ ABANDONADO!CADA UM POR SI E DEUS PARA TODOS.
26
11
welton  13.11.17 08h45
SOU A FAVOR DESSES MORADORES QUE O MINISTÉRIO PUBLICO ENTÃO DÊ SEGURANÇA À ELES SIMPLES!!!
25
14
GILMARA  13.11.17 08h34
Sou super a favor, pois quem quiser entrar nessa rua será apenas para ir a uma das casas existentes lá no horário estipulado, o que uma pessoa de bem vai fazer na casa de outras após 22:00 hrs, aliás Cuiabá deveria estar dessa forma na cidade inteira..pois ninguém aguenta mais ter sua casa assaltada...trabalhar pra sustentar bandidos!
28
11

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados