ENQUETES

Após a operação da PF, você vai parar de comer carne da Sadia, Perdigão, Friboi e Seara?

PUBLICIDADE

Cotidiano / MATOU A EX
20.03.2017 | 16h01
Tamanho do texto A- A+

Enfermeiro será indiciado por homicídio triplamente qualificado

Delegada Juliana Palhares disse que deve encerrar inquérito na próxima quinta-feira (23)

Marcus Mesquita/MidiaNews

Clique para ampliar

O enfermeiro Luiz Otávio Silva (no detalhe) será indiciado pela delegada Juliana Palhares, da DHPP

THAIZA ASSUNÇÃO E JAD LARANJEIRA
DA REDAÇÃO

A delegada Juliana Palhares, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), afirmou nesta segunda-feira (20) que vai indiciar o enfermeiro Luiz Otávio Silva, de 25 anos, por homicídio triplamente qualificado.

 

Ele foi preso em flagrante e confessou ter assassinado a facadas a sua ex-namorada, a estudante de Direito Ivone Oliveira Gomes, de 24 anos, no Bairro Osmar Cabral, em Cuiabá, na última quarta-feira (15).

 

Luiz Otávio está detido no Centro de Ressocialização da Capital (CRC).

 

Devo finalizar as investigações até a próxima quinta-feira (23) e em seguida encaminhar o processo para o Fórum de Cuiabá.

“Devo finalizar as investigações até a próxima quinta-feira (23) e em seguida encaminhar o processo para o Fórum de Cuiabá. Ele será indiciado por homicídio triplamente qualificado, pelo crime de feminicídio com motivo fútil e sem dar condições de defesa para a vítima.”, disse a delegada, em entrevista ao MidiaNews.

 

Do Fórum de Cuiabá, o processo deverá ser remetido ao Ministério Público Estadual (MPE), para que um promotor de Justiça denuncie o enfermeiro pelo crime.

 

Logo depois, o procedimento será levado para análise da juíza da Décima Segunda Vara Criminal, Maria Aparecida Ferreira Fago. Se a magistrado acatar a denúncia, Luiz Otávio Silva passará a ser réu.

 

O crime de homicídio triplamente qualificado prevê pena de 12 a 30 anos de reclusão.

 

Conforme a delegada, o enfermeiro passou por uma audiência de custódia no Fórum na última sexta-feira (17) e teve a prisão em flagrante convertida para prisão preventiva.

 

O caso

 

Ivone foi assassinada a facadas dentro da própria quitinete, após chegar da faculdade, na quarta-feira (15), por volta das 22h.

 

O enfermeiro foi preso na manhã de quinta-feira (16), próximo ao Várzea Grande Shopping.

 

Em depoimento a Polícia Civil, ele contou que empurrou a estudante em sua cama, onde a agrediu várias vezes. Logo em seguida, começou a sufocá-la.

 

“Sentei com minhas duas pernas por cima dela e abri meus braços para que ela não se movimentasse. Foi quando coloquei meus dois polegares no processo de sufocamento. Ela só chegou a desmaiar depois que houve a hemorragia interna”, disse.

 

Luiz Otávio relatou que, após o sufocamento, notou que a pressão arterial da estudante tinha diminuído. Porém, como ela ainda dava sinais de consciência, ele disse ter dado um soco no olho de Ivone e batido a cabeça dela contra a parede.

 

“Quando notei uma possível perda de lucidez, peguei a faca, retornei e furei na região da carótida, que é uma veia que vai até o coração. Contei 5 segundos, deu hemorragia interna dela e o coração parou. Com essa mesma faca, cortei a região da traqueia, mas a faca entortou e não consegui cortar a região da laringe”, detalhou ele, de forma precisa e com total frieza.

 

A Polícia Civil acredita que o enfermeiro cometeu o crime por não aceitar o fim do namoro, que durou dois anos, além da desconfiança de que Ivone pudesse estar se relacionando com outra pessoa.

 

Leia mais:

 

Enfermeiro detalha à Polícia como matou a ex-namorada; ouça




Clique aqui e faça seu comentário


0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados