Cuiabá, Quinta-Feira, 13 de Dezembro de 2018
TRÂNSITO
10.10.2018 | 17h15 Tamanho do texto A- A+

Delegado: vias são entregues sem "regras mínimas de segurança"

Christian Cabral, titular da Deletran, lamenta a política de privilegiar o fluxo de veículos rápidos

Alair Ribeiro/MidiaNews

Delegado titular da Delegacia de Trânsito Christian Cabral

KARINA STEIN
DA REDAÇÃO

O delegado Christian Cabral, titular da Delegacia de Trânsito da Capital, criticou nesta quarta-feira (10) a falta de sinalização adequada em obras viárias construídas na Grande Cuiabá. Segundo o policial, as falhas são um problema crônico na administração pública e contribuem para o alto índice de acidentes.

 

Somente no último final de semana na Capital, nove pessoas morreram vítimas de acidentes de trânsito na Grande Cuiabá - seis delas só no sábado (6).

 

Entre os casos está o atropelamento de um casal na Rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251), saída para Chapada dos Guimarães. Dois dias após o acidente, moradores do Bairro Jardim Florianópolis fecharam a rodovia nos dois sentidos, pedindo mais segurança.

 

Em entrevista à Rádio Centro América FM, na manhã desta quarta, Cabral comentou que em comum todas as ocorrências do final de semana tiveram o componente da imprudência, mas pontua o que ele chama de "elementos significativos".

 

“Nós tivemos desde criança de um ano a idosos sendo vítimas. Tivemos todos esses casos, mas nenhum registro de acidentes causados por embriaguez ou por falta de habilitação”, afirmou.

 

Cabral criticou os “ambientes viários construídos e entregues à população sem observância das regras mínimas de segurança viária”. Para ele, vias como a MT-251 são casos típicos em que o ambiente contribui para que acidentes graves aconteçam.

 

Apesar de a MT-251 atravessar vários bairros, a maneira como ela foi construída privilegia somente a circulação de veículos, não tendo, por exemplo, trechos onde pedestres possam transitar em segurança, segundo o delegado.

 

“Nós não queremos aqui fazer política, apontar erros para A ou para B porque infelizmente a execução e elaboração de projetos com falhas de segurança viária são um problema crônico da administração pública”.

 

“Infelizmente nós temos a falta de comunicação. Os órgãos de fiscalização, de execução e de engenharia de trânsito não conversam. E temos também essa concepção errônea, tanto de nossos engenheiros quanto de nossos gestores, de privilegiar as obras que vão incentivar a circulação rápida e o grande fluxo de veículos mas sem se preocupar com os demais usuários da via”.




Clique aqui e faça seu comentário


COMENTÁRIOS
8 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

JADIR BRUM  11.10.18 11h12
Pois é Dr Delegado neste tipo de acontecimentos em caso grave acredito que o estado deveriam ser responsabilizados principalemnte em caso de morte
6
1
Daniel  11.10.18 08h50
Sempre a culpa das autoridades. Podem colocar radares, lombadas, etc. Mas a população continua sem educação.
9
1
ADEMAR SANTANA FRANCO  11.10.18 07h17
Infelizmente o que parece é que nossos " gestores" e "engenheiros" nunca ouviram falar em PASSARELAS. Em todo lugar do Mundo pedestre cruza rodovias utilizando-se de passarelas e as rodovias são cercadas de forma que o pedestre somente consiga atravessar utilizando a passarela, as quais são devidamente projetadas com toda mobilidade. Algumas Cidades condicionam a liberação de alvará para construção de grandes empreendimentos somente se o projeto contemplar a mobilidade do pedestre no entorno, inclusive em alguns casos são firmados PPP onde a i iniciativa privada constroem as passarelas e as utilizam como espaço publicitário e muitas vezes ligando pequenos espaços comerciais para venda de revistas, cartões, café, etc
5
0
Rafael  11.10.18 00h19
Nao vi a entrevista, mas li a materia. Cuiabá é um Caos porque o trânsito é inadequado, poder publico prefere faZer uma faixa e encher de semáforos do que colocar uma passarela. Tem uma piada q diz q Cuiabano nao sabe dirigir, porque anda devagar do lado esquerdo da pista q seria de fluxo rapido, porem a cidade è cheia de contornos com semáforos do lado esquerdo, ou seja, não há como ter um fluxo rapido, a culpa é dos engenheiros de transito q ficam fazendo quebra galhos, e nem vou dizer das obras mau feitas paradas, processos de corrupção. Cuiabá só tem uma saída, transporte Público de qualidade e respeito ao cidadão ao pensar as novas obras, pois nao tem para onde expandir sua malha viaria para carros.
7
0
Mainardo Aragao  10.10.18 20h25
Um lugar extremamente perigoso é a via de alta velocidade em frente ao Parque das Aguas. Cansei de sugerir que façam Faixa de Pedestre elevada mas não se entendem de quem seria a competência para decidir ou fazer. Uma hora haverá perda de vida ali pois muitos motoristas não respeitam.
4
0