ENQUETES

O que você achou da eliminação da seleção brasileira da Copa da Rússia?

PUBLICIDADE

Cotidiano / ENTERRADA VIVA
03.07.2018 | 15h53
Tamanho do texto A- A+

Bebê indígena apresenta melhora na condição renal

A criança está internada desde o seu nascimento no dia 5 de junho no interior de Mato Grosso

MidiaNews

Clique para ampliar

Bebê está internada na Santa Casa de Misericórdia desde o dia 6 de junho

CÍNTIA BORGES
DA REDAÇÃO

A recém-nascida indígena enterrada viva pela bisavó em Canarana (838 km de Cuiabá), apresentou melhora significativa no estado de saúde e já respira sem aparelhos.

 

A menina, que é da etnia Kamayurá, nasceu no dia 5 de junho e foi em seguida enterrada viva pela avó e a bisavó. Ela foi encontrada por policiais e encaminhada em estado crítico para a Santa Casa de Misericórdia, em Cuiabá, no dia 6 de junho.

 

De acordo com o boletim médico emitido pela unidade, a menina não está mais com as funções renais comprometidas. O bebê, que apresentou um quadro de infecção grave desde os primeiros dias de vida, também apresenta evolução.  

 

Nesta terça-feira (3), a criança passaria por um procedimento cirúrgico para a retirada do cateter que auxilia nas funções renais. 

 

“Passará por um procedimento cirúrgico para retirada do cateter de Tenckhoff, pois a função renal melhorou. Está sendo acompanhada pela fonoaudióloga pra iniciar o processo de sucção, pois a dieta está ainda por sonda”, conta em boletim médico.

 

A menina é alimentada por meio de sonda há uma semana.

 

O caso

 

Segundo as investigações, a mãe da criança, de 15 anos, deu à luz no dia 5 de junho. O bebê foi enterrado no terreno da residência da família.

 

No local, a bisavó da garota confirmou o ato, dizendo que a criança teria nascido morta por ser prematura. Ela alegou que não comunicou a ninguém por ser este um costume da etnia.

 

Uma enfermeira da Casai (Casa de Saúde do Índio), ao assumir o expediente, soube do caso e avisou a polícia e o chefe da unidade. 

 

Em decorrência do tempo, o local foi isolado pela equipe policial para o trabalho da perícia técnica. Mas, ao escavarem, os policiais ouviram o choro do bebê.

 

No decorrer das investigações da Polícia Civil, foram colhidos depoimentos que apontaram que a família não aceitava a gravidez pelo fato de a adolescente ser mãe solteira.

 

A bisavó da criança está presa, e responde a um processo por ter articulado todo o processo para tentar matar a criança.

 

Leia mais sobre o assunto:

 

Bebê indígena apresenta melhoras, mas estado ainda é grave




Clique aqui e faça seu comentário


0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia
1999-2018 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados

Ver em: Celular - Web