ENQUETES

Como você vai gastar seu 13º salário?

PUBLICIDADE

Cotidiano / DESARMAMENTO
20.03.2017 | 14h08
Tamanho do texto A- A+

“Bandido bom é bandido preso, não morto”, afirma secretário

Para Rogers Jarbas, esvaziamento da lei vai aumentar a criminalidade em todo o país

Marcus Mesquita/MidiaNews

Clique para ampliar

O secretário de Estado de Segurança Pública, Rogers Jarbas

THAIZA ASSUNÇÃO
DA REDAÇÃO

O secretário de Estado de Segurança Pública, Rogers Jarbas, afirmou ser favorável ao Estatuto do Desarmamento, que restringe o porte de armas para determinadas categorias e a pessoas que, por questões particulares, comprovem a necessidade de andar armado como medida de autoproteção.

Na última semana, o deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF) apresentou requerimento à Mesa da Câmara com um pedido de votação em regime de urgência do projeto 3.772, que relaxa as regras para compra, registro e porte de armas de fogo. 

 

Pelo projeto - que contou com mais de 45 mil assinaturas - qualquer pessoa, a partir de 21 anos de idade, poderá portar armas livremente. Basta que, para isso, não tenha antecedentes criminais e não seja reprovado em teste de sanidade mental.

 

Alberto Fraga afirma que pessoas comuns precisam e até devem ter armas de fogo em casa, no carro ou nos lugares por onde andam para se defender de eventuais ataques de criminosos. A alegação é de que os bandidos armados levam vantagens sobre cidadãos honestos desarmados.
 

Para o secretário Rogers Jarbas, no entanto, o cidadão de bem armado pode colocar a sua vida e a vida de toda a sua família em perigo.

 

Bandido bom é bandido preso e não bandido morto. E cidadão bom é aquele que não se torna um bandido. A gente tem que evitar que o cidadão de bem se torne um criminoso

“Um pai de família que nunca fez um disparo com uma arma, em uma ação criminosa e tentativa de reação vai colocar ele e a família dele numa situação de vulnerabilidade muito maior”, afirmou Jarbas, em entrevista ao programa Conexão Poder.

 

“Nós não podemos comparar a nossa cultura com as dos americanos. A cultura bélica brasileira é diferente da cultura bélica americana. Eles têm uma cultura bélica já de centenas de anos e o trato com equipamento bélico lá é completamente diferente do nosso. Eles se preparam, efetuam disparos, estão sempre se capacitando, treinando. Nós não temos essa cultura aqui”, disse.

 

De acordo com Rogers Jarbas, o problema de segurança no Estado e em todo país não irá se resolver matando os bandidos.

 

“Bandido bom é bandido preso e não bandido morto. E cidadão bom é aquele que não se torna um bandido. A gente tem que evitar que o cidadão de bem se torne um criminoso”, disse.

 

Aumento de roubo de arma de fogo

 

Além do risco de vida ao cidadão, o secretário afirmou que o esvaziamento do Estatuto do Desarmamento aumentará imediatamente o volume de armas de fogo em circulação e o resultado disso será o crescimento do número de roubo pelo equipamento.

“Historicamente, boa parcela de todo equipamento bélico usado por criminosos nasceram de uma residência. Sabe por quê? Eles ingressaram nas residências e subtraíram uma arma lícita. Então a maior parte das armas que estão com criminosos já estiveram nas mãos de pessoas de bem e que não cuidaram bem do equipamento, que não tiveram zelo”, disse.

 

"Atualmente, os alvos são as agências bancárias. A maioria dos criminosos invadem os bancos não para roubar dinheiro, mas sim para subtrair as armas dos vigias", afirmou.

 

Para o secretário, quanto menos armas de fogo estiverem em circulação, maior é a queda no número de crimes, como homicídio e latrocínio.

 

“No ano passado nós apreendemos mais de 4 mil armas. O efeito disso está surgindo agora. Em janeiro e fevereiro de 2017 houve uma redução de 34% do número de homicídios, comparado ao mesmo período do ano passado”, pontuou.

 




Clique aqui e faça seu comentário


33 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Moises  22.03.17 06h43
Esse secretário diz isso por que vive cercado de segurança, quero ver ser contra o armamento quando não tiver ver proteção do estado como nos cidadãos comuns...
6
1
Valdir Oliveira  22.03.17 04h42
Valdir Oliveira, seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas
Rodrigo  21.03.17 17h49
Esse é o comentário dele como secretário. Gostaria de saber o comentário dele como cidadão. Vamos reativar os clubes de tiro para prática e ele faz o trabalho dele é nós fazemos o nosso.
24
1
Daniel fuzaro  21.03.17 14h17
Claro secretário, já fui vítima de assalto,levaram meu carro comigo junto.Ao me largarem ,Atiraram 3xzs, e por mão divina a arma falhou.Se tivesse porte de arma ,seriam 2 ladrões a menos.Como o sr deve ter segurança e carro blindado,é cômodo falar isso.o sr deve ser informado que depois do desarmamento o número de assaltos e assassinatos dobrou.desarmaram o cidadão de bem e armaram os bandidos.
35
2
Isaías   21.03.17 11h22
Paciência né,olha a besteira; " Atualmente, os alvos são as agências bancárias. A maioria dos criminosos invadem os bancos não para roubar dinheiro, mas sim para subtrair as armas dos vigias". Trabalho em banco a quase 10 aqui em MG, e o armamento de quase todas as agências bancárias são revólveres 38 com 5 tiros. E nem ladrão de ônibus estão usando está arma mas!!!
40
2

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados