ENQUETES

Você é a favor ou contra O FIM do estatuto do desarmamento?

PUBLICIDADE

Cotidiano / DEPÓSITOS SUSPEITOS
23.05.2014 | 07h45
Tamanho do texto A- A+

Adjunto da Sefaz recebeu R$ 520 mil de alvo da PF

Empresa de Vivaldo Lopes recebeu pelo menos seis transferências em 2010

MidiaNews

Clique para ampliar

O secretário-adjunto da Sefaz, Vivaldo Lopes: transferências de empresas investigadas

DA REDAÇÃO
O inquérito da Polícia Federal que apura a prática de suposto esquema de lavagem de dinheiro em Mato Grosso revela movimentações financeiras entre empresas do investigado Júnior Mendonça (epicentro do escândalo) e o secretário-adjunto de Estado de Fazenda, Vivaldo Lopes.

A PF, por meio de quebra de sigilo bancário, autorizada pela Justiça, detectou pelo menos seis transferências da Amazônia Petróleo Ltda. e da Globo Fomento Ltda., ambas de Mendonça, à Brisa Consultoria e Assessoria, empresa de Vivaldo Lopes.

Juntos, os valores somam R$ 520 mil.

As transações foram feitas por meio de transferência eletrônicas (TED). Os valores saíram de contas do banco Bradesco.

O primeiro depósito, no valor de R$ 100 mil, foi realizado em 6 de janeiro de 2010. No dia seguinte, outra transferência foi feita, no valor de R$ 150 mil.

Em fevereiro do mesmo ano, no dia 3, a Brisa recebeu mais R$ 100 mil.

Dezenove dias depois, outra transferência foi feita, no valor de R$ 75 mil.

Em março de 2010, mais dois depósitos foram feitos pelas empresas de Júnior Mendonça: no dia 9, no valor de R$ 45 mil; e no dia 19, no valor de R$ 50 mil.

Busca e apreensão em fevereiro

Vivaldo Lopes teve seu escritório, no edifício Work Tower, em Cuiabá, alvo de busca e apreensão pela Polícia Federal, em 19 de fevereiro deste ano, na quarta fase da Operação Ararath.

"A transferência foi feita pela minha empresa, que prestava assessoria à Afam (Amantes do Futebol e Amigos do Mixto) para o clube, que, por sua vez, não possuía conta. Nós esclarecemos isso à Polícia Federal"


No dia seguinte, em entrevista ao MidiaNews, ele negou que tenha envolvimento no suposto esquema de lavagem de dinheiro investigado pela Polícia Federal.

O secretário-adjunto disse que é sócio único na empresa Brisa Consultoria e Assessoria.

Na ocasião, ele justificou uma transferência de R$ 75 mil, em 2010, direcionada ao Mixto Esporte Clube, à época, presidido por Eder Moraes.

“A transferência foi feita pela minha empresa, que prestava assessoria à Afam (Amantes do Futebol e Amigos do Mixto) para o clube, que, por sua vez, não possuía conta bancária e utilizou o valor para pagamentos de despesas gerais. Nós esclarecemos isso à Polícia Federal, e eu não neguei o repasse”, disse Lopes.

Ontem (22), ele reiterou seu posicionamento à reportagem.

Leia mais sobre a cobertura jornalística da Operação Ararath:

Precatório de R$ 19 milhões: Escritório de advocacia teria sido usado para "lavagem"

PF apreendeu nota promissória no valor de R$ 40 milhões na casa de Eder


Alvo da PF diz que pagou R$ 1,4 milhão a Chico Galindo

Ministro do STF negou busca na Amaggi e gabinete de Silval

Juiz cita indícios de "parceria" de Eder e Júnior Mendonça

Silval paga fiança por arma de fogo e é liberado pela PF

Bosaipo e Alencar Soares também foram alvos de buscas

Detidos, PF leva Eder e Riva para Brasília; veja fostos e vídeo

Ministro do STF cita "caderno espiral" de Silval Barbosa

Silval e Mendes teriam recebido R$ 8 milhões para campanhas

Empréstimo de R$ 3,4 milhões e contrato motivaram busca

Suspeito, gerente do Bic Banco está preso em Cuiabá

Maggi teria avaliado R$ 4 milhões para vaga de Ricardo

Palácio do Planalto avalia que ação contra Silval é "retaliação"

PF prende Eder e Riva e realiza buscas na Assembleia

PF investiga suposta "compra" de vaga no Tribunal de Contas

Ministro ordenou prisão de deputado e ex-secretário em MT

Ministério Público Estadual também seria alvo de operação da PF

Promotor do Gaeco foi alvo da PF; MPE emite nota

Maggi é investigado pelo STF por suposta lavagem de dinheiro

Eder fala com promotor do Gaeco durante busca da PF

Investigado diz que Silval pediu R$ 7 milhões emprestado

Promotor acusa "movimento velado" de policiais para "atingir MP"

Pedido de revogação de prisão de Riva está no MPF

Escritório de advocacia teria sido usado para "lavagem"



Clique aqui e faça seu comentário


7 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

alzite  24.05.14 07h38
alzite, seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas
Roberta  23.05.14 13h37
Roberta, seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas
Carlos  23.05.14 11h20
Carlos, seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas
ANTONIO DÉCIO FERREIRA COELHO  23.05.14 11h11
ANTONIO DÉCIO FERREIRA COELHO, seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas
alzite  23.05.14 11h03
alzite, seu comentário foi vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados