ENQUETES

A aliança de Mauro Mendes com o MDB de Carlos Bezerra:

PUBLICIDADE

Brasil / APÓS FESTA DE ANIVERSÁRIO
06.05.2018 | 14h45
Tamanho do texto A- A+

Delegado da Polícia Federal é assassinado após ter casa invadida

Polícia Civil identificou os três assaltantes e um já foi preso

DO G1

O delegado da Polícia Federal Davi Farias de Aragão de 36 anos, foi assassinado na noite desse sábado (5) por três bandidos que invadiram sua residência para realizar um assalto, segundo a Polícia Civil.

 

O crime foi em uma casa localizada na Avenida Principal, na Praia do Meio, no bairro Araçagi, localizado no município de São José de Ribamar, na Região Metropolitana de São Luís. A ação foi no fim da festa de aniversário de cinco anos da da filha do delegado.

 

Davi Farias de Aragão atualmente comandava a Delegacia de Repressão aos Crimes Fazendários no Maranhão. Os três assaltantes invadiram a residência por volta das 23h, a partir de uma casa vizinha que estava desocupada no momento. Eles pularam o muro e entraram na casa da vítima, sendo dois pelo quintal e outro pela lateral. Os bandidos chegaram a pé até o endereço e perceberam que havia movimento na casa quando um entregador deixou uma pizza pedida pelas pessoas na reunião familiar.

 

A vítima foi atingida por três disparos de arma de fogo no abdomên, além de facadas e teve algumas mordidas pelo corpo.

 

A briga foi até o campo de futebol, quando o delegado foi atingido mortalmente por mais um disparo

A polícia identificou o trio responsável pela morte do delegado como Davi Costa Martins, Wanderson de Morais Baldez e um terceiro identificado apenas como Leandro. Após o crime, Wanderson de Morais Baldez foi preso na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Vila Luizão, na capital, quando procurou por atendimento médico. Segundo informações levantadas pela Polícia Civil no momento do crime houve luta corporal entre os três bandidos e o delegado.

 

De acordo com o delegado Jefrey Furtado, plantonista na Superitendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), a polícia deve caracterizar o crime como latrocínio (roubo seguido de assalto), onde serão levados em consideração os elementos materias já colhidos pela polícia e as testemunhas do crime.

 

A polícia Wanderson de Morais afirmou que o trio estava circulando pela região atrás de possíveis vítimas e após perceberem um movimento na residência onde estava o delegado, resolveram invadir. Ainda segundo as primeiras investigações, Davi Farias de Aragão teria sido alvejado após tentar ter o dominío de uma arma de fogo.

 

"Então os três indivíduos entraram na residência com uma arma tipo pistola, que depois viemos a saber que se tratava de um simulacro (arma de brinquedo). Eles anunciaram o assalto e começaram a subtrair objetos como relógios, celulares e bolsas na varanda. Em dado momento, eles resolveram entrar na residência, onde estavam as crianças, e neste momento os ânimos começaram a se exaltar. Em seguida os indivíduos entraram em luta corporal com o delegado Davi. A briga foi até o campo de futebol, quando o delegado foi atingido mortalmente por mais um disparo. A luta seria para ter o domínio de uma arma de fogo e nós não sabemos ainda se uma arma que estaria com os bandidos ou se a arma do delegado, uma pistola, que está desaparecida", disse o delegado Jefrey Furtado.

 

Assaltante deveria estar sendo monitorado

 

A Polícia Civil informou ainda que Wanderson de Morais Baldez deveria estar sendo monitorado por meio de uma tornozeleira eletrônica já que responde por outro crime que não foi informado.

 

Ao ser capturado pelos policiais, o assaltante não estava usando o equipamento.




Clique aqui e faça seu comentário


2 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

bird  07.05.18 07h55
O único consolo na minha opinião e acredito que isso irá ocorrer é a morte também desses malditos filhos de Satã
17
0
Cleber  06.05.18 15h26
Morreu tentando defender sua família,com toda certeza esses marginais possuem diversas passagens pela policia,se ás leis não fossem brandas,esses bandidos estariam na cadeia e a vida desse pai de família polpada! O prejuízo agora fica com a família,vão ficar todos aprisionados com traumas e problemas psicológicos! é por tudo isso que meu voto é do Bolsonaro!
33
6
1999-2018 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados

Ver em: Celular - Web