Cuiabá, Terça-Feira, 20 de Novembro de 2018
AGROPRODUÇÃO/CACAU
24.10.2018 | 21h30 Tamanho do texto A- A+

Maggi diz que produção de cacau do Brasil deve crescer 50% em cinco anos

De acordo com Maggi, estão em andamento tratativas finais visando reconhecimento internacional para exportar 20% do cacau brasileiro com selo de qualidade diferenciada

Reprodução Internet

Do ISTO É DINHEIRO

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, estimou nesta quarta-feira, 24, que, em cinco anos, a produção brasileira de cacau deve crescer 50% e atingir 300 mil toneladas.

 

Em 10 anos, o aumento pode chegar a 100%, disse ele no Partnership Meeting 2018, o encontro anual da World Cocoa Foundation (WCF – Fundação Mundial do Cacau). Segundo nota distribuída por sua assessoria, Maggi destacou a sustentabilidade da produção agropecuária do País.

 

Lembrou que na Amazônia, de onde o fruto é originário, o crescimento médio é de 10 mil hectares por ano de sistemas agroflorestais com o produto, incluindo a recuperação de áreas degradadas.

 

De acordo com Maggi, estão em andamento tratativas finais visando reconhecimento internacional para exportar 20% do cacau brasileiro com selo de qualidade diferenciada.

 

“Queremos vender para o mundo o cacau fino e de aroma, para entrarmos no seleto clube dos 12 países que possuem essa distinção, o que vai nos possibilitar vender o produto especial pelo dobro do preço médio comercializado atualmente”, afirmou. Isso será possível, segundo o ministro, com o retorno do país como membro efetivo, com direito a voto, do International Cocoa Organization (ICCO).

 

 

Fonte      ttps://istoe.com.br/maggi-diz-que-producao-de-cacau-do-brasil-deve-crescer-50-em-cinco-anos/




Clique aqui e faça seu comentário


COMENTÁRIOS
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia