ENQUETES

Se as eleições em MT fossem hoje, em quem você votaria para governador?

PUBLICIDADE

Agronegócios / AGROGESTÃO
30.07.2017 | 07h30
Tamanho do texto A- A+

CARNE SUÍNA: Aumento do consumo motiva produtores a investirem em tecnologia

A carne suína está cada vez mais presente na mesa do brasileiro

DO PORTAL DO AGRONEGÓCIO

Atualmente, no país, o consumo anual dessa proteína chega a 14,5 kg por habitante, segundo a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS). Para os próximos 10 anos, a previsão de crescimento é de cerca de 21% em produção, consumo interno e exportação, segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). O país é hoje o 4º maior produtor da proteína, tendo produzido 3,7 milhões de toneladas da carne só em 2016, segundo o Anuário da Pecuária Brasileira (Anualpec). Mesmo diante das dificuldades do setor no último ano, a produção nacional vem se destacando pelo sistema intensivo de produção, marcado pelo controle sanitário e respeito às exigências internacionais de bem-estar animal e de qualidade da carne.

 

Conscientização -

 

Há mais de 20 anos atuando no setor, o produtor e presidente da ABCS, Marcelo Lopes, destaca que o momento é de conscientização da população sobre o produto fabricado no país. “Estamos em um processo de transformação desde os anos 1970, quando passou a se produzir carne mais magra, deixando de lado a imagem de um alimento gorduroso”, explica. Lopes destaca ainda a adaptação à esta demanda, que é cada vez maior. “Hoje, com famílias menores, é preciso adaptar o varejo, mostrando toda versatilidade da proteína. A carne suína deve estar inserida no dia a dia, não apenas nas datas comemorativas”, acrescenta.

 

Genética e nutrição animal -

 

Para lidar com o desafio da popularização de todos os tipos de corte, produtores e empresas do setor tem apostado em tecnologia genética e nutrição animal com soluções naturais para atender às exigências do animal e, consequentemente, do consumidor, como explica o médico veterinário e diretor executivo da ABCS, Nilo de Sá. “O Brasil tem grande competitividade pois possui alta produtividade e baixo custo. A qualidade da porteira para dentro, o potencial de crescimento, o melhoramento genético e nutricional, dão as melhores condições de criação e ambiência para o crescimento do setor”, afirma.

 

Contribuição -

 

Segundo o gerente nacional para suinocultura da Alltech do Brasil, Julio Acosta, aliar genética à nutrição tem contribuído para alcançar um maior percentual de carne magra e melhor nível nutricional da proteína frente às outras carnes. “Somos extremante competitivos em relação a outros mercados. Por isso, é essencial investir em tecnologia para que o animal consiga expor todo seu potencial genético. Um exemplo é a substituição de antibióticos como promotores de crescimento por aditivos minerais e prebióticos, que auxiliam na melhora da saúde intestinal, defesas orgânicas, absorção de nutrientes e eficiência do animal, que são exigências do mercado”, ressalta.

 

Profissionalização -

 

A cadeia da suinocultura é responsável por mais de 126 mil empregos diretos e 900 mil indiretos no Brasil. A profissionalização, tecnologia e a relevância econômica do setor mudaram a visão sobre o setor e o suinocultor. “A população é cada vez mais urbana e por isso, muitas vezes, desconhece totalmente como o alimento é produzido no campo, assim como o trabalho do pecuarista e produtor de grãos. É uma dedicação exclusiva de quem gosta e preza pela saúde e bem-estar animal e é essencial o reconhecimento deste trabalho”, complementa o diretor da ABCS.

 

Sobre a Alltech -

 

Fundada em 1980 pelo empresário e cientista irlandês, Pearse Lyons, as soluções da Alltech melhoram a saúde e o desempenho de animais e plantas, por meio da nutrição natural e da inovação científica, utilizando leveduras, nutrigenômica e algas. Com aproximadamente 100 unidades industriais em todo mundo, a Alltech é líder na produção de leveduras e minerais orgânicos, além de ter como referência a planta de produção de algas no Kentucky (EUA), modelo existente em apenas mais um lugar no mundo. A empresa segue os princípios da ACE (Animal, Consumer and the Environment) e busca desenvolver soluções seguras para os animais, consumidores e meio ambiente e, para alcançar esse objetivo, conta com uma equipe de mais de 5000 colaboradores.

 

Entre as maiores -

 

Alltech é a única empresa de capital fechado entre as cinco maiores empresas de saúde animal no mundo, o que confere vantagem competitiva permitindo a empresa se adaptar rapidamente às necessidades emergentes dos clientes e manter o foco na inovação. A sede mundial está localizada em Lexington, Kentucky (EUA), sendo que o Brasil é o segundo maior volume de produção mundial do grupo. A Alltech do Brasil é formada por uma unidade fabril em São Pedro do Ivaí (PR) e por um centro administrativo e planta industrial em Araucária (PR) e uma unidade em Indaiatuba (SP).

 

 

Fonte      http://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/carne-suna-aumento-do-consumo-motiva-produtores-a-investirem-em-tecnologia-161610

ais informações




Clique aqui e faça seu comentário


0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:
Marque "Não sou um robô:"
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do MidiaNews. Comentários ofensivos, que violem a lei ou o direito de terceiros, serão vetados pelo moderador.

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

1999-2017 MidiaNews - Credibilidade em Tempo Real - Tel.: (65) 3027-5770 - Todos os direitos reservados